Estudo associa antidepressivos em grávidas a hipertensão pulmonar permanente em bebés

Resultados publicados no New England Journal of Medicine

24 fevereiro 2006
  |  Partilhar:

Bebés cujas mães tomaram antidepressivos durante o segundo semestre da gravidez têm seis vezes mais probabilidades de desenvolver hipertensão pulmonar permanente, afirmam os investigadores na edição do New England Journal of Medicine. Os antidepressivos que causariam os problemas são chamados de inibidores selectivos de serotonina, adiantam os cientistas num editorial da última edição do jornal. "E este é o último de uma série de trabalhos sobre os efeitos secundários desses medicamentos em fetos" afirmou o James L.Mills. Mills é médico e membro do National Institute of Child Health and Human Development. No estudo, foram entrevistadas 1213 mães. As mães de 14 crianças que eram portadoras de complicação pulmonar afirmaram ter tomado os medicamentos citados durante a segunda metade da sua gravidez. Através de cálculos, os cientistas referem que os antidepressivos aumentam em seis vezes o risco do aparecimento da patologia. Descobriram também que o risco não aumentava durante a primeira metade da gravidez ou em virtude do uso de outros antidepressivos sem os inibidores selectivos de serotonina. MNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.