Estudantes de enfermagem com níveis elevados de stress e ansiedade

Estudo da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

11 julho 2013
  |  Partilhar:

Os estudantes de enfermagem sentem elevados níveis de stress e ansiedade, causados por “falta de competências para executar procedimentos e pelos riscos e medos decorrentes das situações de aprendizagem nos serviços de saúde”.
 

O estudo levado a cabo pelo professor da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC), Alfredo Cruz Lourenço, refere que os estudantes sentem “receio de não terem as competências totais que exigem as situações complexas que enfrentam”, competências “técnicas”, mas sobretudo “relacionais”, como o “medo de comunicar com o doente pela primeira vez” ou até de falar com os “familiares” dos pacientes.
 

O estudo, ao qual a agência Lusa teve acesso, contou com a participação de 1.805 estudantes da ESEnfC, os quais consideraram que “fazer mal o meu trabalho e prejudicar o doente”, “picar-me com uma agulha infetada” e “causar dano físico ao doente” são as situações consideradas potencialmente mais stressantes no âmbito da aprendizagem e da prática desenvolvida em ensino clínico.
 

O estudo diz ainda que aspetos como as notas do ano/semestre, o ano de frequência do curso e a participação em atividades extracurriculares também têm influência nos níveis de stress e de ansiedade registados.
 

“Os estudantes com melhor aproveitamento escolar são aqueles que apresentam maiores níveis de stress, o que poderá indicar que, à medida que avançam na escolaridade, vão tomando mais consciência da complexidade e exigência das situações clínicas”, anuncia ainda a investigação. Registou-se ainda uma diminuição dos níveis de ansiedade ao longo do percurso académico, o que indicia um melhor controlo pessoal e emocional.
 

Os estudantes que participam em atividades extracurriculares apresentam menores níveis de stress, bem como mais e melhores estratégias de “coping” (adaptação às situações difíceis).
 

“Consideramos que a identificação e avaliação das situações indutoras de stress e ansiedade nos estudantes durante os ensinos clínicos de Enfermagem e a compreensão dos mecanismos de ‘coping’ utilizados pelos estudantes durante os referidos ensinos devem contribuir para a implementação de ações e programas de orientação pedagógica, tanto a nível dos docentes quanto dos tutores responsáveis pelos ensinos clínicos e pelas aprendizagens dos estudantes”, defende Alfredo Cruz Lourenço.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.