Estudantes alimentam-se mal

Guisados e fritos é a comida mais apresentada nas cantinas, revela estudo português

21 novembro 2002
  |  Partilhar:

O método culinário predominante nos estabelecimentos de ensino nacionais é o estufado/guisado, com 33,7 por cento, seguido pelo frito (25,1 %), sendo os alimentos grelhados e cozidos os mais difíceis de encontrar com percentagens da ordem dos 13,5 e 9,2 por cento respectivamente.
 

 

Esta é uma das principais conclusões retiradas de um diagnóstico das ementas escolares, realizado no âmbito de um projecto pioneiro que está a ser promovido em conjunto com 60 escolas C+S e S, que elegeram a alimentação dos seus alunos como uma prioridade. O objectivo é não só avaliar a oferta alimentar nos bufetes e cantinas escolares, como também identificar as necessidades de formação dos professores, órgãos de gestão e auxiliares de acção na área de alimentação/nutrição.
 

 

Os resultados foram apresentados pela nutricionista e professora da faculdade de Ciências da Nutrição do Porto, Bela Franchini, durante o Workshop «Nutrição Pediátrica – Da Concepção à Adolescência», promovido pelo Centro de Informação do Iogurte que se realizou este mês no Centro de Congressos do Estoril. No projecto participam ainda outros especialistas da comunidade médica, nomeadamente Rui Lima, Teresa Silva, Berta Bemhaja, João Breda, Isabel Loureiro e Maria Daniel Vaz de Almeida.
 

 

 

Neste primeiro diagnóstico participaram 14 escolas, permitindo concluir que as 347 ementas escolares analisadas disponibilizavam mais carne de porco e batatas do que peixe ou vegetais.
 

 

Assim, avaliando a ementa semanal de diferentes meses, bem como o respectivo método culinário, observa-se que a maioria das refeições inclui a carne (55%), a batata ( 42,1 %) e produtos hortícolas como a alface e o tomate (54,4 %).
 

 

A monotonia alimentar foi outra das características assinaladas por Bela Franchini, que destacou a pouca variedade de carne, peixe, acompanhamento e produtos hortícolas utilizados nas ementas escolares.
 

 

As refeições têm como base a carne de porco (25%) ou o frango (16,7%), sendo o bacalhau (20,1%) e a pescada (16,8%) os tipos de peixe mais utilizados. O acompanhamento resume-se à batata (42,1%), ao arroz (30, 3%), à massa (12,1%) e, muito raramente, às leguminosas secas (9,5%).
 

 

A alface e o tomate, como acima referido, constituem o tipo de produtos hortícola mais utilizado, seguindo-se a cenoura (9,3%) ou o feijão verde (4,7%). No que diz respeito à sobremesa, a maioria das cantinas escolares serve fruta (53,3%), existindo a opção do doce em 95 ementas (27,4%) e a do iogurte em apenas 12 (3,5%).
 

 

Com exepção do índice de sobremesas regista-se nestas 347 ementas escolares uma total ausência do iogurte, alimento que, pelas suas características nutricionais, constitui um elemento fundamental na dieta alimentar dos adolescentes.
 

 

Além de permitir a ingestão suplementar de cálcio, vital para o crescimento e formação óssea dos adolescentes, o iogurte ajuda a combater os desequilíbrios alimentares característicos da adolescência, prevenindo a diminuição do conteúdo mineral ósseo e as alterações do sistema imunitário frequentes entre os jovens mais desportistas.
 

 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.