Esteato-hepatite não-alcoólica: novo teste sanguíneo melhora deteção

Estudo publicado na revista “Clinical Gastroenterology and Hepatology”

11 outubro 2016
  |  Partilhar:

Investigadores do Reino Unido desenvolveram um método que determina o início da esteato-hepatite não-alcoólica através da análise dos metabolitos dos lípidos e marcadores clínicos no sangue, dá conta um estudo publicado na revista “Clinical Gastroenterology and Hepatology”.
 

A esteato-hepatite não-alcoólica é a forma mais grave da doença do fígado gordo não alcoólica, um conjunto de condições causadas pela acumulação de gordura no fígado. Na presença da esteato-hepatite não-alcoólica, a inflamação do fígado danifica as células, causando potencialmente cicatrizes e cirrose.
 

Atualmente, o diagnóstico da esteato-hepatite não-alcoólica só pode ser realizado através de uma biópsia ao fígado, um procedimento que é invasivo e dispendioso. Contudo, o novo estudo, levado a cabo pelos investigadores da Universidade de Cardiff, no Reino Unido, pode conduzir ao desenvolvimento de um teste de sangue simples que poderá impedir o aparecimento da doença antes de a inflamação danificar o fígado.
 

You Zhou, um dos autores do estudo, explica que muitas pessoas com esteato-hepatite não alcoólica não apresentam sintomas e não estão conscientes de que estão a desenvolver um problema hepático grave. Desta forma, o diagnóstico é feito quando já ocorreram danos irreversíveis.
 

Assim, um método mais rápido e menos invasivo do diagnóstico pode significar que mais indivíduos com doença do fígado gordo não alcoólica poderão ser facilmente testados para determinar se estão a progredir para a forma mais grave da doença, a esteato-hepatite não-alcoólica.
 

Um fígado saudável deve conter pouca ou nenhuma gordura. Estima-se que cerca de 20 a 30%  das pessoas no Reino Unido e em Portugal tenham doença do fígado gordo não alcoólica. Por outro lado, a esteato-hepatite não-alcoólica pode afetar até 5% da população do Reino Unido e é considerada uma das principais causas de cirrose, uma condição em que o tecido de fígado liso sofre alterações que conduzem à diminuição da quantidade de células saudáveis que apoiam as funções normais. Isto pode conduzir à insuficiência hepática total.
 

Os riscos comuns para a esteato-hepatite não-alcoólica e doença do fígado gordo são a obesidade, falta de exercício físico e resistência à insulina. Contudo, se forem detetadas num estadio inicial, é possível impedir o agravamento destas duas condições.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar