Estatinas podem reduzir morte por hospitalização por gripe

Estudo publicado no “ The Journal of Infectious Diseases”

20 dezembro 2011
  |  Partilhar:

As estatinas, fármacos utilizados habitualmente para controlar os níveis de colesterol, podem ser utilizados como tratamento adicional da gripe e reduzir a mortalidade dos pacientes hospitalizados devido a esta doença, dá conta um estudo publicado no “ The Journal of Infectious Diseases”.
 

Neste estudo, os investigadores liderados por Meredith L. Vandermeer, do Oregon Public Health Division, em Portland, EUA, analisaram os dados clínicos de adultos hospitalizados durante 2007 e 2008 devido à gripe sazonal, para avaliar se havia alguma associação entre a toma de estatinas e as mortes associadas à infecção por influenza.
 

O estudo revelou que entre os 3.043 pacientes hospitalizados devido à infecção por influenza, que foi confirmada laboratorialmente, 33% tinham tomado estatinas antes ou durante o período de hospitalização. Após terem ajustado vários factores, os investigadores constataram que os pacientes que não tinham sido tratados com estatinas apresentavam quase o dobro do risco de morrer devido à gripe, quando comparados com os que tinham sido submetidos ao tratamento.
 

“O nosso estudo demonstrou que a toma de estatinas estava associada com a diminuição do risco de morte nos pacientes hospitalizados devido à infecção por influenza, após se ter tido em conta a idade, raça, doença cardiovascular, doença renal, imunização contra influenza e iniciação da toma de antivirais nas 48 horas após a admissão”, revelaram os autores do estudo em comunicado de imprensa.
 

Os autores afirmaram que dado este ser um estudo observacional, podem haver factores que, não tendo sido encontrados no registo clínico dos pacientes, podem ter confundido os resultados. Por outro lado, os investigadores não controlaram a quantidade de estatinas tomadas pelos pacientes durante o período total de hospitalização.   
 

Os ensaios clínicos controlados e aleatórios serão necessários ser realizados para clarificar os potenciais benefícios das estatinas no tratamento da infecção por influenza, concluem os investigadores, e “permitirão analisar outros parâmetros, como a dose resposta, a sua utilização em pacientes mais jovens e a identificação da classe de estatinas mais eficaz.”

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.