Estatinas diminuem eficácia da vacina contra a gripe?

Estudos publicados no “The Journal of Infectious Diseases”

02 novembro 2015
  |  Partilhar:
As estatinas, fármacos habitualmente utilizados para reduzir os níveis de colesterol, pode ter efeitos prejudiciais na resposta imunológica à vacina da gripe e na eficácia desta vacina na prevenção de doenças nos idosos, dão conta dois estudos publicados no “The Journal of Infectious Diseases”.
 
Num dos estudos, os investigadores Centro Médico do Hospital Pediátrico de Cincinnati, nos EUA, analisaram dados da resposta imunológica de um ensaio clínico da vacina contra a gripe realizado nas épocas da gripe de 2009-2010 e 2010-2011. Neste estudo os investigadores focaram-se no potencial efeito das estatinas nas respostas imunológicas após a imunização contra a gripe. A análise baseou-se em mais de sete mil adultos com idade superior a 65 anos, oriundos de quatro países.
 
Neste estudo os investigadores mediram os níveis de anticorpos produzidos no sangue dos participantes três semanas após terem sido vacinados contra a gripe. Verificou-se que, comparativamente com os indivíduos que não tomavam estatinas, os que tomavam apresentavam uma resposta imunológica significativamente mais reduzida à vacinação. Este efeito foi mais pronunciado nos pacientes que tomavam estatinas sintéticas do que naturais.
 
“Aparentemente, as estatinas interferem com a resposta à vacina da gripe e diminuem a resposta imune, e isto parece também resultar numa menor eficácia das vacinas”, revelou, em comunicado de imprensa, o líder deste estudo, Steven Black.
 
No caso de serem confirmados, estes resultados apoiam a utilização preferencial de uma vacina contra a gripe de dose mais elevada ou de vacinas que incluem adjuvantes para aumentar a resposta imune nos idosos. 
 
No outro estudo, os investigadores da Universidade de Emory, analisaram o possível impacto das estatinas na eficácia da vacina da gripe na prevenção de doenças respiratórias graves. Foram analisados os dados de nove épocas da gripe desde 2002 até 2011, incluindo informação sobre a vacinação contra a gripe, prescrição de estatinas e casos de atendimento médico por doença respiratória aguda em 14.000 indivíduos.
 
Após terem ajustado vários fatores, os investigadores verificaram que a eficácia da vacina na prevenção de doenças respiratórias graves era menor nos pacientes que tomavam estatinas, comparativamente com aqueles que não tomavam. Estes resultados têm potencias implicações nas recomendações da toma de estatinas nos idosos em torno do tempo da vacinação.
 
Na opinião dos investigadores, estes resultados devem potenciar o desenvolvimento de novos estudos de forma a validar se as estatinas reduzem a imunogenicidade da vacina contra a gripe e se este for o caso, avaliar os mecanismos através dos quais a resposta imunológica e a eficácia da vacina são afetados.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.