Estatinas devem ser prescritas a pacientes com alta de AVC ou enfarte do miocárdio

Estudo apresentado nas Sessões Científicas de 2017 da Associação Americana do Coração

15 novembro 2017
  |  Partilhar:
Os pacientes que recebem alta após terem tido um acidente vascular cerebral (AVC) ou ataque agudo de miocárdio apresentam melhores resultados se tomarem estatinas, sugere um novo estudo.
 
O estudo recentemente apresentado nas Sessões Científicas de 2017 da Associação Americana do Coração, EUA, foi conduzido por uma equipa de investigadores do Instituto do Coração do Centro Clínico Intermountain em Salt Lake City, EUA. 
 
Para o estudo, a equipa analisou os processos clínicos de 62.070 pacientes pertencentes ao sistema de Saúde Intermountain, EUA, entre 1999 e 2013 que tinham sobrevivido a um evento cardiovascular aterosclerótico inicial, como AVC ou ataque agudo de miocárdio.
 
Os pacientes foram seguidos durante três anos após o evento, ou até à morte, com o intuito de se apurar a eficácia do uso de estatinas prescritas na altura de receberem alta hospitalar. 
 
Jeffrey L. Anderson, investigador daquela instituição clínica explicou que como resultado “os pacientes aos quais tinham sido prescritas estatinas na sequência de um ataque de coração ou AVC inicial reduziram o risco de sofrerem um evento adverso futuro como um futuro ataque do coração, AVC, revascularização ou morte, em 25% - a taxa baixou de 34 por cento para 26 por cento”.
 
“Os pacientes que receberam alta com o que é considerado uma dose de alta intensidade de uma estatina tiveram uma redução de 21% no seu risco em relação aos que tiveram alta com uma dose de baixa-intensidade”, acrescentou o especialista. 
 
Foi também descoberto que 30% dos pacientes do estudo que tinham recebido alta hospitalar após sofrerem um AVC ou enfarte agudo do miocárdio não tinham recebido estatinas, o que conduziu a piores resultados para aqueles pacientes.
 
Finalmente, foi apurado que apenas 13% dos pacientes tinham recebido doses elevadas de estatinas e que como resultado tiveram menos AVC e ataques de miocárdio.
 
A Associação Americana do Coração recomenda que sejam prescritas estatinas de alta intensidade a pacientes com menos de 76 anos de idade, o que nos pacientes neste estudo só se refletiu em 17,7%.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar