Ervas e especiarias podem fazer reduzir consumo de sal

Estudo apresentado na American Heart Association

04 abril 2014
  |  Partilhar:

A utilização de ervas e especiarias na preparação dos alimentos, em vez do sal, resultou numa diminuição do consumo de sódio em comparação com adultos que tentaram reduzir o sal por si só, revelou um estudo norte-americano.
 

Em Portugal, o sal que se consome está longe das recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). O Estudo Português de Hipertensão revelou que em 2012 consumiu-se, em média, 10,7 gramas de sal por dia. A OMS estabeleceu, em janeiro de 2013, que a dose recomendada de sal diária é inferior a 5 gramas para os adultos.
 

A adoção de uma dieta rica em sódio está associada à hipertensão arterial. A redução do consumo de sódio é, portanto, muito importante em pessoas com hipertensão, a qual constitui um dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares, que são responsáveis por 35 a 45 mil mortes anuais em Portugal, sendo a primeira causa de mortalidade nos portugueses.
 

O estudo conduzido por uma equipa da Universidade da California em San Diego, nos EUA, debruçou-se sobre formas eficazes de encorajar as pessoas a reduzirem o consumo de sal. A autora principal do estudo, Cheryl A. M. Anderson considera que “o sal existe em abundância na alimentação e o nível médio de sódio nos americanos é muito elevando – muito mais do que o que é recomendado para se levar uma vida saudável”.
 

A equipa conduziu o estudo em duas fases: uma fase em que 55 participantes consumiram uma dieta pobre em sódio por um período de quatro semanas. Durante esta fase, a alimentação dos participantes foi fornecida pelos investigadores. 60% dos participantes tinham hipertensão arterial e 18% tinham diabetes e apresentavam excesso de peso.
 

No final desta primeira fase, o grupo decresceu o consumo de sódio de cerca de 3.450 mg por dia para cerca de 1.656 mg diários (1000mg de sódio equivalem a 2.540mg de sal ou cloreto de sódio).
 

A segunda fase consistiu numa intervenção comportamental com a duração de 20 semanas em que se tentou reduzir o consumo de sódio em metade dos participantes para 1.500mg diários através da substituição do sal por especiarias e ervas aromáticas. A outra metade dos participantes foi instruída para tentar reduzir por si o consumo de sódio.
 

O grupo de intervenção, ou seja o das especiarias e das ervas aromáticas, recebeu demonstrações culinárias de como alterar receitas de dia-a-dia de forma a retirar-lhes o sal e substituí-lo por especiarias. Os participantes foram encorajados a experimentarem diferentes tipos de especiarias de forma a descobrirem as que mais lhes agradavam. Este grupo registou um decréscimo no consumo de sódio.
 

Embora o consume médio de sódio tenha aumentado depois da primeira fase, o grupo de intervenção consumiu cerca de 966mg a menos por dia que o grupo que não recebeu a intervenção.
 

O grupo que recebeu a intervenção aprendeu estratégias de resolução de problemas, como utilizar ervas aromáticas e especiarias em receitas, de como a cultura influencia as escolhas das especiarias, como monitorizar a sua própria alimentação, como escolher alimentos e de como tornar o consumo baixo de sódio permanente, explica a autora principal do estudo.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.