Erro médico pode ser resolvido com “compensação sem culpa”

Especialista propõe método usado no Norte da Europa

24 junho 2008
  |  Partilhar:

O médico José Fragata, chefe de serviço no Hospital Santa Marta e co-autor do livro "O Erro em Medicina, sugeriu que o "erro clínico" fosse resolvido através de um entendimento entre doente e médico, sem recurso aos tribunais e com uma indemnização paga "na hora", à imagem do que se passa nos países nórdicos.
 

 

Durante uma conferência internacional, denominada "Segurança clínica: o paradigma das organizações fiáveis", e organizada pela Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário, o especialista explicou à agência Lusa que a “compensação sem culpa funcionaria nos mesmos moldes e com regras idênticas às da Declaração Amigável entre os automobilistas, nos acidentes de viação".
 

 

"Os hospitais e os médicos devem ter um seguro que suporte estas situações e que permita, de imediato, indemnizar o doente pelos danos sofridos sem que seja necessário esperar anos para que um tribunal resolva a questão", frisou o especialista.
 

 

De acordo com estatísticas europeias citadas por José Fragata, apenas 4% dos erros clínicos são praticados por maus profissionais que "devem ser banidos do serviço público".
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.