Epidemia da tuberculose está a diminuir

Relatório anual da Organização Mundial de Saúde

19 outubro 2012
  |  Partilhar:

O tratamento da tuberculose salvou 20 milhões de vidas desde 1995 e a epidemia continua a diminuir, revelou o relatório anual da Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

A OMS conclui que o progresso no combate à doença já permitiu alcançar o Objetivo de Desenvolvimento do Milénio que previa parar e inverter a epidemia até 2015. O número de novos casos de tuberculose tem vindo a diminuir há vários anos e a taxa de mortalidade associada à doença abrandou 41% desde 1990, o que significa que o mundo está no bom caminho para atingir o objetivo global de reduzir 50% até 2015.

 

A notícia avançada pela agência Lusa refere também que o acesso a tratamentos para a tuberculose também aumentou "substancialmente" desde que, em meados da década de 1990, a OMS lançou uma estratégia global de controlo da doença.

 

“No espaço de 17 anos, 51 milhões de pessoas foram tratadas com êxito, seguindo as recomendações da OMS. Sem esse tratamento, 20 milhões de pessoas teriam morrido", revelou o diretor do departamento de combate à tuberculose da OMS, Mario Raviglione.

 

O responsável defende que este número “reflete o compromisso dos governos para transformar a luta contra a tuberculose", mas alerta que a guerra contra a doença ainda não está ganha e está "em grande perigo".

 

“Estamos numa encruzilhada entre a eliminação da tuberculose durante o nosso tempo de vida e mais milhões de mortes devido à doença", afirma ainda.

 

De acordo com os dados da OMS, recolhidos junto de 204 países e territórios, o peso global da tuberculose "continua enorme" e estima-se que, só em 2011, tenham surgido 8,7 milhões de novos casos (13% coinfetados com VIH). Em 2010, quando se inverteu a tendência de crescimento, registaram-se 8,8 milhões de casos.

 

A organização calcula também que, no mesmo ano, 1,4 milhões de pessoas tenham morrido com a doença (um milhão de seronegativos e 430 mil seropositivos), entre os quais meio milhão de mulheres, o que faz da doença uma das principais causas de morte entre a população feminina.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.