Enxaquecas e flutuações do estrogénio estão associadas?

Estudo publicado na revista “Neurology”

20 junho 2016
  |  Partilhar:
Nas mulheres com antecedentes de enxaqueca, os níveis de estrogénio podem cair mais rapidamente comparativamente com aquelas sem antecedentes desta condição, sugere um estudo publicado na revista “Neurology”.
 
A enxaqueca é a terceira doença mais prevalente no mundo. Contudo, as mulheres são três vezes mais propensas a sofrer de enxaqueca do que os homens. A comunidade científica acredita que esta maior propensão é provavelmente devida a fatores biológicos e psicossociais. 
 
No entanto, uma vez que esta diferença de género é mais pronunciada nas mulheres em idade reprodutiva, muitos cientistas acreditam que os níveis hormonais podem ser uma parte significativa do problema.
 
Para o estudo, a Escola de Medicina Albert Einstein, nos EUA, contou com a participação de 114 mulheres com antecedentes de enxaqueca e 223 sem antecedentes desta condição, com uma média de 47 anos. Foram analisados os diários das enxaquecas e medidos os níveis hormonais de amostras de urina durante um ciclo de um mês. 
 
Os investigadores mediram os picos e a média dos níveis hormonais. Foram também calculadas as taxas de declínio diárias nos cinco dias que se seguiram aos picos hormonais. 
 
O estudo apurou que nos dois dias seguintes ao pico de estrogénio, na fase luteínica do ciclo, ou seja, a fase após a ovulação e antes da menstruação, os níveis de estrogénio nas mulheres com enxaqueca diminuíram 40%, comparativamente com as mulheres sem enxaqueca. A taxa diminuiu 34 picogramas por miligramas de creatinina (pg/mgCr) nas mulheres com enxaqueca, comparativamente com os 23 pg/mgCr nas mulheres sem enxaqueca.
 
“Um declínio mais rápido no estrogénio pode fazer com que as mulheres fiquem mais vulneráveis aos desencadeadores comuns dos ataques de enxaqueca como o stress, falta de sono, determinados alimentos e vinho”, referiu, em comunicado, uma das autoras do estudo, Jelena Pavlovi.
 
A investigadora referiu que estudos futuros deveriam focar a relação entre as dores de cabeça e alterações hormonais diárias e explorar as possíveis causas destes resultados. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.