Ensino do controlo da dor ajuda doentes a controlar as vulnerabilidades

Tema debatido no 1.º Congresso do Centro de Estudos em Psicologia Oncológica

21 janeiro 2011
  |  Partilhar:

O ensino do controlo da dor é uma das ferramentas da psicologia oncológica, uma especialidade considerada “fundamental” para dominar as vulnerabilidades associadas à doença.

 

Em declarações à agência Lusa, a psicóloga Teresa Ferreira, do Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho, referiu que “é fundamental promover junto do doente um processo de adaptação à doença, para que possa aprender a lidar com ela”.

 

Teresa Ferreira, participante do 1.º Congresso do Centro de Estudos em Psicologia Oncológica, que está a decorrer a partir de hoje na cidade do Porto, explica que o estigma da doença é difícil de ultrapassar nestes doentes vulneráveis, tanto física como psicologicamente.

 

“Há doentes que conseguem, por eles, ultrapassar a situação, mas é importante intervir, para que aprendam a lidar com a doença e com a própria dor”, afirmou a psicóloga.

 

Para Rui Ramos, psicólogo do Hospital Pedro Hispano, Matosinhos, um doente só “é forte” psicologicamente quando tem “competências apreendidas para lidar com a doença”. É possível desenvolver competências para que o doente seja capaz de "manejar a sua dor", quer através de técnicas de relaxamento como através de instrumentos que lhe permitam classificar e quantificar essa dor.

 

Estes dois participantes do congresso sublinharam que um doente mais activo e mais conhecedor “é capaz de manejar a dor”, ganhando, assim, mais qualidade de vida. “Os aspectos da vida social das pessoas podem amplificar a dor”, acrescenta.

 

Quanto ao papel dos “Grupos de Ajuda” a estes doentes, os especialistas concordaram que é necessário que estes sejam compostos por pessoas com formação ao nível da psicologia.

 

O apoio dado por voluntários “pode por vezes levar os doentes a desenvolver crenças disfuncionais”, revelou Teresa Ferreira.

 

“É preciso que os doentes percebam que são muito mais do que pessoas com cancro. Valem muito mais do que isso e não podem ficar escondidos atrás de rótulos”, conclui ainda Rui Ramos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.