Ensaios promissores para tratamento tópico de linfoma cutâneo

Resultados divulgados na publicação “Blood”

18 agosto 2015
  |  Partilhar:
O linfoma cutâneo de células T (LCCT) é um tipo raro de linfoma não-Hodgkin que afeta a pele e que, além do transplante de medula, não possui qualquer outro tipo de tratamento que conduza à cura. Contudo, um novo estudo da Escola de Medicina Perelman da Universidade da Pensilvânia, nos EUA, revela que um gel tópico poderá eliminar as células T malignas, resultando numa redução das lesões. 
 
Os resultados da primeira fase de ensaios de um fármaco de aplicação tópica, denominado resiquimod gel, revelam regressão de lesões tumorais tratadas e não tratadas, podendo inclusivamente eliminar as células cancerígenas em ambos os casos em pacientes com LCCT.
 
Estes resultados dão esperança a pacientes que não responderam de forma positiva a outras modalidades de tratamento, incluindo determinados tipos de quimioterapia tópica, fototerapia ou até a tratamentos sistémicos com interferão alfa e bexaroteno oral.
 
No ensaio do fármaco investigado participaram 12 pacientes que se tinham já submetido a uma média de seis tratamentos para LCCT em fase inicial. A todos eles foi aplicada uma dose variável (0,03 e 0,06%) de resiquimod gel em lesões cutâneas selecionadas, durante 16 semanas, em intervalos igualmente variáveis.  
 
No final da avaliação, os cientistas verificaram que as lesões tratadas com o gel melhoraram em 75% dos pacientes, e em 30% dos casos as lesões tratadas ficaram totalmente curadas. Alguns pacientes a quem foi aplicada uma dose de 0,06% apresentaram erradicação total de células malignas ao final de apenas oito semanas. 
 
Contrariamente a outros tratamentos, o resiquimod melhorou também as lesões não tratadas, resultando numa melhoria de mais de 50% em mais de 90% dos casos. Dois pacientes, um dos quais possuía LCCT há mais de 15 anos sem conseguir respostas positivas a outros tratamentos, viram a doença ser totalmente erradicada.
 
“Os resultados do ensaio sugerem que o resiquimod é absorvido de forma segura e eficaz pela pele e, além de melhorar as lesões tratadas, melhora também a resposta do sistema imunológico, resultando na cura mesmo de lesões não tratadas”, afirmou, em comunicado de imprensa, Alain Rook, um dos autores do estudo. “Tanto quanto saibamos, esta é a primeira terapia tópica capaz de eliminar lesões não tratadas e conduzir à remissão completa em alguns pacientes”, acrescentou.
 
Os cientistas acreditam que a utilização do resiquimod em combinação com outras terapias poderá ser útil no tratamento de casos mais avançados de LCCT, embora alertem que serão necessários mais estudos para determinar a melhor abordagem e aplicação nesses pacientes.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.