Enjoos matinais podem ser herdados

Estudo publicado no “Biochemical Medical Journal”

10 maio 2010
  |  Partilhar:

As filhas de mulheres que sofreram de enjoos matinais severos durante a gravidez têm um risco superior de também terem o mesmo problema, sugere um estudo publicado no “Biochemical Medical Journal”.

 

A hiperemese gravídica é caracterizada por náuseas e vómitos que têm início na 22ª semana de gestação e pode, em casos graves, conduzir à perda de peso. Esta condição que se verifica em cerca de 2% das gravidezes constitui uma causa comum de internamento de mulheres grávidas. De acordo com os autores do estudo, a hiperemese gravídica está também associada a um baixo peso e prematuridade do bebé.

 

Estudos anteriores já haviam indicado que a hiperemese gravídica era causada por factores psicológicos, nomeadamente rejeição do bebé ou do parceiro. A equipa de investigadores do Instituto Norueguês de Saúde Pública, em Oslo, decidiu averiguar se os factores genéticos estariam envolvidos.

 

Assim, os investigadores liderados por Ase Vikanes analisaram 2,3 milhões de nascimentos ocorridos entre 1967 e 2006, acompanhando a incidência de hiperemese gravídica em mais de 500.000 pares de mães/filhas e quase 400.000 pares de mãe/filhos.

 

O estudo revelou que, se a mãe tivesse sofrido deste problema, a sua filha teria um risco três vezes superior de também poder desenvolver hiperemese gravídica.

 

Ase Vikanes espera que os resultados deste estudo ajudem a esclarecer as possíveis causas desta condição e que ajudem os profissionais de saúde a tratar e aconselhar melhor as mulheres com história familiar de hiperemese gravídica.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.