Enfermeiro norte-americano confessa dezenas de homicídios

Mais de 30 mortes em 16 anos

18 dezembro 2003
  |  Partilhar:

Durante 16 anos, um enfermeiro dos Estados Unidos pode ter causado a morte de 30 a 40 pessoas, de acordo com as suas confissões. O processo vai exigir uma grande investigação, em dez hospitais onde o indivíduo trabalhou, tanto em New Jersey como na Pensilvânia. Depois de ter sido acusado de administrar medicamentos em doses letais a 10 doentes do Centro Médico de Somerset (New Jersey), Charles Cullen, 43 anos, parou, na passada quarta-feira, as suas actividades médicas. Mas, no decorrer do fim-de-semana, o homem, divorciado e pai de duas crianças, adiantou que havia mais vítimas do que as que tinham sido descobertas. Perante da acusação, de um juiz de instrução criminal de New Jersey, de ter responsabilidade na morte de Florian Gall, morto aos 68 anos quando tentava curar-se de um cancro, o enfermeiro explicou que a sua atitude tinha como principal objectivo «aliviar a dor e o sofrimento do paciente». De resto, esta é a justificação que o profissional de saúde dá para os diversos casos mortais em que se envolveu. Fonte: Público

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar