Enfermeiro alemão condenado a prisão perpétua

Tribunal confirma a morte de 28 doentes

21 novembro 2006
  |  Partilhar:

Um enfermeiro alemão foi condenado segunda-feira em Kempten (sul da Alemanha) a prisão perpétua por ter morto 28 doentes através de injecção de uma mistura medicamentosa. O tribunal superior daquela cidade da Baviera sublinhou a "responsabilidade particularmente grave" de Stephan Letter, de 28 anos, no maior assassínio em série na Alemanha do pós-guerra. O condenado não poderá, em caso algum, deixar a prisão antes de cumprir 15 anos, mesmo que o seu comportamento seja irrepreensível. Também nunca mais poderá exercer a profissão de enfermeiro. A defesa, que estimava que o enfermeiro tivesse morto 15 pacientes, pediu uma pena "limitada no tempo". O tribunal, que seguiu os pedidos da acusação, condenou o "anjo da morte" por assassínio em 12 casos, homicídio em 15 e morte assistida num caso. Durante a investigação, Stephan Letter reconheceu uma parte dos factos, ocorridos entre o início de 2003 e meados de 2004, quando trabalhava numa clínica numa localidade dos Alpes bávaros, não muito longe do Tirol austríaco. As suas vítimas, às quais injectava uma mistura de medicamentos que provocavam a morte em alguns minutos, tinham entre 45 e 95 anos, embora a maioria tivesse mais de 75 anos. O enfermeiro disse ter agido por "compaixão" pelos doentes a quem queria "aliviar" dos sofrimentos. Fonte: Lusa MNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.