Enfartes do miocárdio silenciosos são mais frequentes do que se pensava

Estudo publicado no “PLoS Medicine”

27 abril 2009
  |  Partilhar:

Os enfartes do miocárdio silenciosos, que não apresentam sintomas, são mais frequentes do que a Medicina pensava, pelo menos entre as pessoas que sofrem de doenças cardíacas, segundo um estudo baseado numa nova técnica de imagiologia.

 

O estudo da Universidade de Duke, na Carolina do Norte, EUA, foi publicado no “PLoS Medicine”.

 

Para o estudo, liderado pelo cardiologista Han Kim, os investigadores submeteram a um DE-CMR (uma nova técnica de imagiologia cardíaca por ressonância magnética de alta resolução) 185 doentes suspeitos de sofrerem de problemas cardíacos, mas que nunca tinham tido uma crise cardíaca.

 

Todos estes doentes fizeram também uma angiografia para determinar se as artérias tinham qualquer tipo de bloqueio. De seguida, foram acompanhados durante dois anos com o objectivo de verificar se os enfartes silenciosos estavam associados a um risco de mortalidade mais elevado.

 

Os autores do estudo verificaram que 35% dos participantes manifestaram sinais de enfartes do miocárdio furtivos. Trata-se de "enfartes sem a presença da onda Q", que é normalmente a assinatura, no electrocardiograma, da presença de tecidos cardíacos afectados.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.