Energia da luz torna água potável

Novo método desenvolvido por cientistas espanhóis

21 março 2003
  |  Partilhar:

Cientistas espanhóis da Universidade Politécnica de Valência, Espanha, desenvolveram um método que torna a água potável através da energia da luz, quer seja solar ou eléctrica.
 

 

Segundo a investigadora Mercedes Alvaro, o processo assenta em técnicas de foto-oxidação que evitam sabores desagradáveis, sendo também mais amigo do ambiente do que os métodos tradicionais.
 

 

A energia da luz permite destruir os compostos orgânicos, tanto de origem natural como industrial ou agrícolas presentes na água.
 

 

A investigadora recordou que as técnicas tradicionais para tornar a água potável através da adição de cloro apresentam inconvenientes para a saúde e o ambiente.
 

"São sistemas que produzem compostos que acrescentam à água um sabor desagradável, assim como subprodutos do processo não desejáveis", assinalou.
 

 

A nova técnica ensaiada pelos investigadores espanhóis permite reduzir, na água destinada ao consumo, entre quarenta a cinquenta por cento o nível de trialometanos (THM), compostos químicos que aparecem na água potável durante o processo de desinfecção por cloração.
 

 

«Estas substâncias são geradas como resultado da interacção do cloro com a matéria orgânica que de modo natural se encontra na água», explicou a professora, que trabalhou neste projecto com Hermenegildo Garcia, do Instituto de Tecnologia Química da mesma universidade.
 

 

A principal vantagem desta tecnologia, que «ataca» as moléculas precursoras e inibe a formação de THM, é que não deixa nenhum aditivo residual na água.
 

 

Os ensaios foram realizados em colaboração com a empresa Águas de Valência, responsável pelo abastecimento de água na cidade, numa unidade piloto de uma estação localizada no município de Manises.
 

 

Aí, os investigadores instalaram um dos dois reactores fotoquímicos que conceberam e desenvolveram juntamente com a empresa canadiana «Trojan Technologies».
 

«Os resultados obtidos são bons. Não só demonstrámos que é possível baixar, em percentagem elevada, o potencial de trialometanos na água de Valência, mas também que o projecto pode ser viável do ponto de vista económico», explicou Garcia.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.