Endometriose aumenta risco de doença cardíaca

Estudo publicado na revista “Circulation: Cardiovascular Quality and Outcomes”

01 abril 2016
  |  Partilhar:
As mulheres com endometriose, especialmente aquelas com menos de 40 anos, apresentam um risco elevado de doença cardíaca, dá conta um estudo publicado na revista “Circulation: Cardiovascular Quality and Outcomes”.
 
Este estudo, conduzido pelos investigadores do Brigham and Women's Hospital e da Escola de Medicina de Harvard, nos EUA, é o primeiro a analisar a associação entre a doença arterial coronária e a endometriose – o crescimento do tecido que reveste o útero, o endométrio, fora do útero.
 
Para o estudo, os investigadores liderados por Fan Um analisaram os registos de 116.430 mulheres incluídas no “Nurses' Health Study II”. No final do período de acompanhamento, que teve uma duração de 20 anos, 11.903 mulheres foram diagnosticadas com endometriose. 
 
O estudo apurou que, comparativamente com as mulheres sem endometriose, as mulheres com esta condição tinham um risco 1,35 maior de necessitarem de cirurgia ou colocação de stents para abrir as artérias bloqueadas. Estas mulheres apresentavam também um risco 1,52 maior de sofrerem um enfarte agudo do miocárdio e um risco 1,91 vezes maior de desenvolverem angina. 
 
Os investigadores verificaram ainda que as mulheres com endometriose e que tinham no máximo 40 anos eram três vezes mais propensas a sofrerem um enfarte agudo do miocárdio, dor torácica e necessidade de tratamento das artérias bloqueadas, comparativamente com as mulheres da mesma idade mas sem a condição. 
 
“As mulheres com endometriose devem estar conscientes que podem estar um maior risco de doença cardíaca, comparativamente com mulheres sem endometriose, e este risco aumentado pode ser maior quando são mais jovens”, revelou, em comunicado de imprensa, o investigador.
 
Os cientistas referem que os tratamentos cirúrgicos da endometriose, remoção do útero ou ovários, podem, em parte, aumentar o risco de doença cardíaca. A menopausa induzida por cirurgia antes da menopausa natural pode aumentar o risco de doença cardíaca e este risco pode ser mais evidente nas mulheres mais jovens.
 
“É importante que as mulheres com endometriose, mesmo as mais jovens, adotem hábitos de vida saudável para o coração, sejam submetidas a rastreios pelos médicos e estejam familiarizadas com os sintomas, uma vez que a doença cardíaca continua a ser a principal causa de morte nas mulheres”, concluiu um dos autores do estudo, Stacey A. Missmer.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.