Empagliflozina pode melhorar estrutura do coração

Estudo apresentado nas Sessões Científicas da Associação Americana do Coração de 2018

16 novembro 2018
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores sugere que o fármaco empagliflozina, usado no tratamento da diabetes, pode melhorar a estrutura cardíaca em doentes com diabetes de tipo 2.
 
O achado resultou do estudo EMPA-HEART, que foi conduzido pela equipa do Centro de Investigação de Ciências Biomédicas Keenan, no Hospital St. Michael, Ontário, Canadá. 
 
Este estudo foi o primeiro do seu género, randomizado, duplo-cego e controlado a investigar os efeitos da empagliflozina sobre a estrutura e função do ventrículo esquerdo em doentes com diabetes de tipo 2 e um historial de doença cardiovascular durante seis meses, com ressonância magnética.
 
“A empagliflozina é usada para reduzir a glicose nos pacientes com diabetes, mas também possui benefícios cardiovasculares profundos”, explicou Suboth Verma, investigador que liderou o estudo.
 
O aumento da espessura do ventrículo esquerdo do coração está associado a doenças cardíacas e a insuficiência cardíaca. Os investigadores observaram que a toma de empagliflozina durante seis meses causou uma regressão significativa no índice da massa ventricular esquerda, avaliado através de ressonância magnética.
 
Suboth Verma explicou que não se sabe a razão pela qual o uso do fármaco conduz a reduções tão acentuadas na morte e insuficiência cardíaca. “E se pode direta e favoravelmente remodelar o coração tem sido uma pergunta importante sem resposta”, acrescentou.
 
“Os resultados são verdadeiramente impressionantes, pois foram observados para além de excelentes padrões de cuidados, e observados num período muito curto”, comentou Kim Connelly, que também participou no estudo.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar