Emergência médica sem formação reconhecida

O currículo dos 600 candidatos à integração no novo modelo de urgências hospitalares está em fase de avaliação

04 setembro 2002
  |  Partilhar:

A criação de equipas fixas para as urgências hospitalares vai iniciar-se sem que esteja ainda reconhecida a formação em emergência médica, já que os currículos dos primeiros cerca de 600 candidatos estão em avaliação. De acordo com o Despacho Normativo n.º 11/2002, elaborado pelo anterior ministro da Saúde e que cria o serviço de urgência hospitalar, e ao qual o actual responsável pela pasta decidiu dar seguimento, "no Serviço de Urgência devem exercer médicos da carreira, com competência, preferencialmente, em emergência médica".
 

 

Porém, a competência em emergência médica, criada pela Ordem dos Médicos (OM) em Fevereiro de 2000 e que reconhece as habilitações técnicas necessárias ao exercício de medicina de emergência - tanto em meio hospitalar como pré-hospitalar - só agora dá os primeiro passos em matéria de titulação de profissionais. João Paulo Almeida e Sousa, vice-presidente da Secção Regional Centro da OM e coordenador da comissão da competência em emergência hospitalar, pormenorizou à agência Lusa que estão actualmente em avaliação os currículos de cerca de 600 profissionais interessados em obter a titulação.
 

 

Leia tudo sobre esta notícia no Público

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.