É possível reverter os danos causados pelo envelhecimento celular?

Estudo publicado na revista “Nature Medicine”

20 agosto 2018
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores descobriu uma forma de reverter os danos causados pelo envelhecimento a nível celular.
 
O envelhecimento tem início nas células, e essas células em envelhecimento podem acelerar a senescência celular, conduzindo a disfunções nos tecidos e problemas de saúde.
 
Num estudo efetuado por Paul D. Robbins e Laura J. Niedernhofe da Faculdade de Medicina da Universidade do Minnesota, EUA, e equipa, foi demonstrado que há certos tipos de pequenas moléculas conhecidas como senolíticos que podem reverter o impacto das células envelhecidas ou senescentes.
 
Para o estudo, os investigadores procuraram determinar se a introdução de células senescentes em tecido humano e animal influenciaria a saúde celular das células adjacentes. 
 
Foi efetivamente o que aconteceu. O transplante de um pequeno número de células senescentes causou disfunções físicas persistentes e causou senescência em células que eram anteriormente saudáveis.
 
Adicionalmente, os investigadores observaram que uma dieta rica em gordura, que causa stress metabólico, ou simplesmente o facto de se ser velho fazia aumentar a disfunção física provocada pelas células senescentes. 
 
Por outro lado, o tratamento com fármacos senolíticos, os quais conseguem eliminar as células senescentes, tinha a capacidade de reverter a disfunção física e de aumentar até a longevidade em animais idosos, verificaram ainda os investigadores.
 
“Observámos mais atividade, mais endurance e mais força na sequência do uso dos senolíticos”, comentou Paul D. Robbins.
 
“Esta área de investigação é promissora, não só para tratar o declínio físico que surge com o envelhecimento, mas também para melhorar a saúde dos sobreviventes de cancro tratado com radiação ou quimioterapia – dois tratamentos que podem induzir a senescência celular”, concluiu Laura Niedernhofer.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar