É possível contrair dois vírus da gripe ao mesmo tempo

Estudo publicado no “American Journal of Tropical Medicine and Hygiene”

11 novembro 2011
  |  Partilhar:

Investigadores confirmaram a existência de casos raros em que as pessoas estão infectadas com estirpes de influenza sazonal e pandémica, ao mesmo tempo. O relatório foi publicado no “American Journal of Tropical Medicine and Hygiene”.

 

A co-infecção com a estirpe H1N1 da gripe suína e da sazonal, chamada H3N2, foi identificada num jovem cambojano e no seu professor em Outubro de 2009. Um sequenciamento completo dos genomas de ambos os vírus mostrou que eles não se recombinaram para formar um vírus novo e diferente.

 

Ambos os pacientes recuperaram, mas os cientistas assinalaram que os casos servem para alertar sobre o risco permanente de que o vírus da gripe combinam-se e podem dar origem a uma estirpe mais letal. Também recordaram as co-infecções do vírus no sudoeste da Ásia exigem vigilância particularmente estrita por causa da contínua presença do vírus pandémico da gripe das aves H5N1 e do também pandémico H1N1.

 

"Os vírus da gripe mudam constantemente", assinalou, em comunicado de imprensa da American Society of Tropical Medicine and Hygiene, o co-autor do relatório Patrick Blair.

 

"Encontrar uma co-infecção numa área onde há muitos indivíduos com gripe sazonal, gripe pandémica e de gripe das aves H5N1, mostra que há uma oportunidade de se misturarem em suínos ou em humanos, o que poderia criar um problema de saúde global perigoso".

 

As co-infecções de gripe são incomuns. Outros cientistas investigam co-infecções com o vírus pandémico H1N1 encontrado apenas num caso em Singapura, seis na China e onze na Nova Zelândia.

 

Cientistas e as autoridades de saúde pública estão particularmente preocupadas com o potencial de co-infecções com o vírus da gripe das aves H5N1, contra a qual os seres humanos têm poucas defesas imunitárias.

 

Houve 566 infecções humanas conhecidas como o H5N1, e 332 dessas pessoas morreram, uma taxa de mortalidade de mais de 60%, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

 

Até agora, o vírus H5N1 tem demonstrado pouca capacidade de se disseminar de uma pessoa para outra. A maioria das infecções humanas foi causada por contacto directo com aves domésticas infectadas e outras.

 

Mas os co-infectados com o vírus H5N1 e da gripe sazonal - e que leva a uma nova estirpe do H5N1 que poderia propagar-se facilmente de um humano para outro - poderia representar uma grave ameaça global, advertem os cientistas no comunicado de imprensa.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.