É mais fácil deixar sexo do que o cigarro?

Europeus preferem passar um mês sem relações sexuais do que sem tabaco

15 janeiro 2003
  |  Partilhar:

Prefere passar mais tempo sem sexo do que sem um cigarro? Se esta ideia condiz consigo, então, junte-se à maioria dos fumadores europeus. Segundo um estudo recente, uma grande fatia dos fumadores europeus acha que seria mais fácil desistir de sexo por um mês do que largar o cigarro.
 

 

A pesquisa, feita junto de mais dois mil fumadores, mostrou o nível de dependência que a nicotina causa. Sessenta e dois por cento dos fumadores de seis países europeus disseram que a proximidade do Ano Novo era uma boa ocasião para deixar o vício, mas apenas três por cento usaram isso como um estímulo para parar.
 

«Em cada país, a vasta maioria dos fumadores deseja parar e, assim, a motivação existe, mas, por outro lado, eles não seguem o caminho certo», disse à Reuters Alex Bobak, do grupo de combate ao fumo Scape, na altura em que lançava uma campanha internacional contra o tabagismo.
 

 

Cerca de 80 por cento dos fumadores na Grã-Bretanha, quase 70 por cento na Holanda, França e Alemanha, e mais de 55 por cento na Bélgica e na Espanha, prefeririam abrir mão de fazer sexo a ter de viver um mês sem fumar.
 

 

Embora 60 por cento dos fumadores europeus tenham dito que tentariam deixar o cigarro se fumar prejudicasse a sua vida amorosa, 35 por cento dos fumadores admitiram que nunca tentaram parar de fumar.
 

 

O medo de problemas de saúde foi a maior motivação para largar o tabaco, seguido de preocupações com a família e com o preço dos cigarros, mas 62 por cento dos que tentaram parar voltaram a fumar no prazo de um mês.
 

 

Bobak, chefe do Scape (Smoking Cessation in Primary Care), disse que a dependência da nicotina era tão forte que, mesmo depois de um ataque cardíaco, 60 por cento dos fumadores retomaram o hábito.
 

«Fumar mata metade do tempo de vida dos fumadores», disse o responsável, acrescentando que a motivação, tratamento e apoio são requisitos necessários para ajudar as pessoas a parar.
 

 

Em relação à disponibilidade dos tratamentos contra o tabagismo e dos grupos de apoio, Bobak disse que apenas 22 por cento dos fumadores em toda a Europa comentaram ter pensado em consultar o médico em busca de ajuda para largar o cigarro.
 

 

Segundo as investigações, o apoio de um médico, juntamente com uma medicação eficiente, é uma combinação que resulta com eficácia. Este mês, ministros da Saúde da União Europeia aprovaram uma nova lei para estender a proibição da publicidade de cigarros na televisão e impressa.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.