Duas novas drogas detetadas, em média, por semana na União Europeia

Dados do Observatório Europeu da Droga e Toxicodependência

11 março 2015
  |  Partilhar:
No ano passado foram detetadas, em média, na União Europeia, duas novas substâncias psicoativas por semana, confirmando a tendência de aumento do número de substâncias notificadas anualmente, noticia a agência Lusa.
 
De acordo com a informação divulgada pelo Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (EMCDDA, sigla inglesa) a que a Lusa teve acesso, o Sistema de Alerta Rápido da EU recebeu 101 notificações de novas drogas em 2014, o que representa um acréscimo de 20 notificações em relação a 2013. Esta entidade encontra-se atualmente a monitorizar mais de 450 substâncias psicoativas, mais de metade das quais identificadas apenas nos últimos três anos.
 
Da lista de substâncias notificadas em 2014, são predominantes as drogas pertencentes a dois grupos: as catinonas sintéticas (31 substâncias), que são vendidas como substitutos legais de drogas estimulantes; e os canabinóides sintéticos (30 substâncias), vendidos como substitutos da canábis.
 
No que diz respeito a apreensões, os dados mais recentes adiantados pelo EMCDDA revelam um crescimento de cerca de sete vezes, entre 2008 e 2013, no espaço europeu. Assim, em 2013 registaram-se 47 mil apreensões, correspondentes a um total de 3,1 toneladas de substâncias, principalmente canabinóides sintéticos (1,6 toneladas em 21 mil apreensões) e catinonas sintéticas (1,1 toneladas em 11 mil apreensões).
 
Segundo o EMCDDA, muitas das novas drogas são produzidas a granel por empresas químicas estabelecidas fora da Europa e depois transportadas por via aérea para a Europa, onde são processadas, embaladas e vendidas.
 
Além de monitorizar o aparecimento de novas drogas no mercado, o Sistema de Alerta Rápido identifica ainda os indícios de riscos graves e aciona as respostas necessárias.
 
Nesse âmbito, só em 2014 foram emitidos 16 alertas de saúde pública devido à presença de riscos graves que exigiam medidas urgentes e o Comité Científico alargado do Observatório realizou seis avaliações de risco.
 
Entre as preocupações de saúde pública identificadas no relatório constam os novos opiáceos sintéticos, muitas vezes de grande potência, com grandes riscos de overdose, e vendidos como heroína a consumidores desprevenidos. Três dos cinco opiáceos notificados em 2014 eram fentanis, um tipo de droga responsável por centenas de mortes nos EUA e na Europa.
 
A publicação deste relatório coincide com a realização da 58ª sessão da Comissão de Estupefacientes das Nações Unidas, que terá lugar em Viena, onde participará o EMCDDA.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.