Dose única de antibiótico não é suficiente para impedir cegueira

Estudo publicado na revista da American Medical Association

17 julho 2006
  |  Partilhar:

Um estudo realizado em oito vilas etíopes, o qual demorou dois anos a finalizar, descobriu que uma única dose de antibiótico não é suficiente para impedir infecções que causam doenças como Tracoma, a principal causa de cegueira do mundo e que pode ser prevenida. Um estudo anterior, feito numa vila da Tanzânia, sugeriu que uma única distribuição em massa do mesmo antibiótico poderia ser o suficiente para diminuir as taxas de infecção para praticamente zero. No entanto, o novo estudo, publicado na revista da American Medical Association (AMA), demonstrou que as infecções voltavam lentamente após dois anos. Mesmo assim, são boas notícias, segundo um dos autores do estudo, Tom Lietman, da University of California, São Francisco, dado que “quando a infecção volta, volta muito lentamente”. As descobertas sugerem que a aplicação de tratamentos antibióticos com azitromicina, a cada dois anos, pode eliminar infecções durante alguns anos, explica Lietman. No novo estudo, a taxa média de infecção em crianças era de 43% antes do tratamento. Dois meses depois, a taxa era de apenas 5%, mas subiu para 11% passados dois anos. A Iniciativa Tracoma Internacional forneceu os antibióticos doados pela empresa farmacêutica Pfizer. Tracoma é causada por uma cadeia de bactérias chamada chlamydia trachomatis, que se espalha pelos olhos através de contacto manual, roupas ou, acreditam alguns investigadores, pelas moscas. Crianças têm as mais altas taxas da infecção. A cegueira desenvolve-se décadas após infecções repetidas e por cicatrizes na parte interior das pálpebras. MNI- Médicos na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.