Dormir pouco é saudável

Seis a sete horas por noite aumenta tempo à vida

15 fevereiro 2002
  |  Partilhar:

Tanto o senso comum como os especialistas têm-nos convencido que dormir oito horas por noite é essencial para manter um bom estado físico e mental. Mas os cientistas vem agora afirmar que aqueles que dormem seis a sete horas vivem mais tempo.
 

 

Investigadores da Universidade da Califórnia e da Sociedade Americana do Cancro estudaram, durante seis anos, um milhão de pessoas entre os 30 e os 102 anos, e perceberam que, afinal, é no grupo dos que dormem oito e mais horas ou menos do que quatro horas por noite que se regista a maior taxa de mortalidade. Ao contrário, vivem mais os que dormem entre seis e sete horas.
 

 

Embora tenha confirmado a relação entre maior mortalidade e sono de longa duração, o estudo, publicado hoje no jornal Archives of General Psychiatry, da Associação Médica Americana, não consegue explicar as causas. Cauteloso, o principal autor da pesquisa, Daniel F. Kripke, sublinhou que "são necessários estudos adicionais para determinar se antecipar a hora do despertador promove a saúde". Acrescentou, no entanto, que "os indivíduos que não dormem mais do que seis horas e meia podem ficar descansados, trata-se de uma dose de sono saudável. Não há razões para dormir mais".
 

 

A investigação, que integrou uma parte do Estudo de Prevenção do Cancro II da Sociedade Americana do Cancro, indica também que os participantes que referiram sofrer de episódios ocasionais de insónia não registaram taxas de mortalidade mais elevada, mas as pessoas que tomavam comprimidos para dormir tendiam a morrer mais cedo.
 

 

O cientista referiu ainda que pesquisas anteriores já haviam relacionado os sonos demasiado curtos ou longos com a mortalidade. No entanto, "nenhum deles foi suficientemente abrangente como este para distinguir a diferença entre sete e oito horas".
 

 

Fonte: Diário de Notícias
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar