Dormir bem pode evitar resistência à insulina

Estudo do Centro Médico Cedars-Sinai

09 novembro 2015
  |  Partilhar:
A privação de uma noite de sono e a adoção de uma dieta com elevado teor de gordura ao longo de seis meses podem ambos afetar a sensibilidade à insulina de forma semelhante. O estudo apresentado no encontro anual da Sociedade de Obesidade demonstra a importância do sono na manutenção dos níveis de glucose no sangue e na redução do risco de doenças metabólicas, como a obesidade e diabetes.
 
Quando o organismo fica menos sensível à insulina necessita de produzir mais desta hormona para manter os níveis de glucose estáveis. Este processo pode eventualmente conduzir à diabetes tipo 2, uma doença onde a resposta à insulina não funciona adequadamente e os níveis de glucose ficam demasiado elevados no sangue. A diabetes está associada a várias complicações graves, incluindo doença cardíaca. Por outro lado, os indivíduos obesos são mais propensos a desenvolver resistência à insulina e consequentemente diabetes.
 
Estudos anteriores já tinham apurado que a privação de sono e uma dieta com elevado teor de gordura afetavam a sensibilidade à insulina, mas até à data não se sabia qual destas condições conduzia a uma maior resistência à insulina.
 
Neste estudo os investigadores do Centro Médico Cedars-Sinai, nos EUA, mediram a sensibilidade à insulina em oito cães antes e após a adoção de uma dieta que induzia a obesidade. Antes de serem alimentados com uma dieta com elevado teor de gordura, os investigadores utilizaram um teste de tolerância à glucose para medir a sensibilidade à insulina. Esta medição foi realizada em cães que tinham sido privados de uma noite de sono e em cães que tiveram uma noite normal de sono. 
 
Os animais foram alimentados com uma dieta rica em gordura, altura em que foi novamente realizado o teste de tolerância à glucose. Antes de terem submetido os cães a esta dieta, os investigadores verificaram que a privação de uma noite de sono reduzia a sensibilidade à insulina em cerca de 33%. Esta redução foi semelhante à redução causada apenas pela dieta, 21%. Após os cães terem a sensibilidade à insulina afetada devido à adoção da dieta, a privação de uma noite sono não afetou mais a resistência à insulina.
 
“A privação de uma noite de sono e seis meses de uma dieta rica em gordura reduzem a sensibilidade à insulina de uma forma semelhante nos caninos. Contudo, não se verificou qualquer efeito aditivo da perda de sono e da dieta com elevado teor de gordura. Isto pode sugerir um mecanismo semelhante através do qual estas duas condições induzem a resistência à insulina. Estes resultados também podem significar que após o consumo de uma dieta rica em gordura, a sensibilidade à insulina não pode ser posteriormente reduzida através da privação de sono”, revelou, em comunicado de imprensa, uma das autoras do estudo, Josiane Broussard.
 
Para além de afetar a sensibilidade à insulina, a privação de sono pode conduzir a um aumento de consumo de alimentos e risco de doenças metabólicas.
"É fundamental que os profissionais de saúde chamem atenção para a importância do sono. Muitos pacientes percebem a importância de uma dieta equilibrada, mas não têm uma noção clara de como o sono é fundamental para manter o equilíbrio do organismo ", conclui um dos membros da Sociedade de Obesidade, Caroline M. Apovian.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.