Dores de garganta e bronquite: antibióticos são prescritos em excesso

Estudo publicado no “JAMA Internal Medicine”

09 outubro 2013
  |  Partilhar:

A maioria dos indivíduos que tem dores de garganta ou bronquite aguda toma antibióticos apesar de apenas uma pequena percentagem precisar de facto deste tipo de tratamento, sugere um estudo publicado no “JAMA Internal Medicine”.
 

Apesar de alguns programas terem ajudado a reduzir a errada utilização de medicamentos, este estudo sugere que a mensagem ainda não atingiu devidamente a população, uma vez que esta continua a solicitar a toma de antibióticos para condições erradas e os médicos continuam a prescrever. A utilização inadequada de antibióticos contribui para o desenvolvimento de bactérias resistentes aos fármacos, as quais são muito difíceis de tratar e são uma ameaça à saúde pública.
 

“As pessoas precisam de perceber que ao tomar antibióticos para doenças virais, estão a fornecer ao organismo algo que não necessita. Tomar antibióticos desnecessariamente expõe as pessoas a efeitos secundários adversos, como alergias, infeções fúngicas, náuseas, sem qualquer benefício”, revelou, em comunicado de imprensa o líder do estudo, Jeffrey A. Linder.
 

As dores de garganta causadas pela bactéria Streptococcus devem ser tratadas com antibióticos. Mas apesar de as pessoas pensarem que muitas vezes esta bactéria é a causa das dores de garganta, isto apenas se verifica em 10% dos casos. Na maioria dos casos, a dor de garganta é provocada por vírus. Relativamente à bronquite aguda, esta é quase sempre vírica e mesmo quando está envolvida uma bactéria, não há necessidade de antibióticos, a não ser que o paciente desenvolva pneumonia.
 

Neste estudo os investigadores da Universidade de Harvard, nos EUA, calcularam a taxa de prescrição de antibióticos após terem analisado os dados de dois inquéritos, realizados entre 1996 e 2010, o National Ambulatory Medical Care Survey e o National Hospital Ambulatory Medical Care Survey. Os investigadores verificaram que os antibióticos tinham sido prescritos em 60% das visitas ao médico causadas por dores de garganta e em 73% dos casos de bronquite aguda.
 

Os autores do estudo explicam que, geralmente, as dores de garganta e os casos de bronquite aguda devem ser curados com descanso, ingestão de fluidos e utilização de um humificador. A tosse, a congestão nasal e rouquidão são geralmente sinais de dor de garganta de origem viral. A bronquite aguda, que envolve a inflamação dos brônquios, ocorre tipicamente após uma constipação ou gripe que são provocadas por infeções virais. Esta doença pode perdurar ao longo de duas semanas, mas a tosse, causada pela irritação dos pulmões pode se prolongar ao longo de semanas.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.