Dor, endorfinas e efeito placebo

Afinal, como se relacionam?

23 agosto 2005
  |  Partilhar:

Investigadores da Michigan University dizem ter provado, pela primeira vez, que as endorfinas desempenham um papel importante no chamado "efeito placebo". Um estudo realizado com 15 jovens permitiu concluir que a simples ideia de tomar um analgésico é suficiente para levar o cérebro a ordenar a secreção de endorfinas. Segundo Jon-Kar Zubieta, professor de Psiquiatria e Radiologia da Faculdade de Medicina da referida Universidade, este é o primeiro estudo de um mecanismo químico cerebral específico ligado ao "efeito placebo".Zubieta, citado no Journal of Neuroscience, acrescentou que se trata de "um revés para a ideia de que o efeito placebo é um fenómeno puramente psicológico, não físico". "Observámos que o sistema das endorfinas se activa nas zonas do cérebro ligadas à dor e que essa actividade aumenta quando se diz a um paciente que vai tomar um analgésico".A conclusão baseia-se na "scannerização" cerebral dos 15 jovens que autorizaram os investigadores a injectar-lhes nos músculos dos maxilares uma solução concentrada que lhes causaria dor. Durante os exames, foi dito aos participantes que iriam tomar um medicamento que lhes aliviaria a dor e que era, na realidade, um placebo. A actividade cerebral dos voluntários revelou nesse momento uma maior secreção de endorfinas e uma redução da dor.Fonte: LusaMNI- Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.