Dois estudos negam ligação entre acrilamida e alguns cancros

Substância dos fritos não aumenta risco de doença

30 março 2004
  |  Partilhar:

Dois estudos preliminares sugerem que os alimentos com acrilamida, uma substância provavelmente cancerígena existente em alimentos fritos ricos em hidratos de carbono, não aumentam o risco de vários tipos de cancro, disse esta semana um cientista. A descoberta deverá atenuar os receios suscitados há dois anos quando cientistas suecos anunciaram que muitos alimentos continham elevados níveis daquele químico.A acrilamida, presente em alimentos processados a altas temperaturas, nunca tinha sido antes detectada. Os resultados iniciais de dois novos estudos suecos apontam agora para a inexistência de ligações entre a ingestão de acrilamida, considerada pelos cientistas como provavelmente cancerígena, e um aumento de casos de cancro do cólon, recto e mama. Embora a acrilamida seja uma conhecida neurotoxina quando ingerida em doses altas, não se sabe se causará o cancro em pessoas que a consomem em doses muito mais pequenas.Os cientistas sublinharam todavia que outros riscos de saúde associados à ingestão de alimentos fritos prevalecem sobre quaisquer riscos adicionais de cancro que a acrilamida possa conter. Na ausência de unanimidade entre os cientistas quanto aos efeitos nocivos da acrilamida na saúde, a FDA continua a insistir junto dos consumidores para que mantenham uma dieta equilibrada e prefiram os alimentos ricos em fibra e baixos em gorduras saturadas, além das frutas e legumes. Fonte:Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.