Doentes não querem ser operados no Natal

Ministro da Saúde quer diminuir listas de espera

16 dezembro 2002
  |  Partilhar:

Vários doentes que se encontravam em lista de espera para serem submetidos a operações cirúrgicas foram chamados mas recusaram o internamento para os respectivos procedimentos, dada a plena «época de Natal» em que nos encontramos, avança a edição de sexta-feira do Correio da Manhã (CM).
 

 

A situação foi relatada pelo próprio ministro da Saúde, Luís Filipe Pereira, que adianta que os procedimentos médicos dos referidos doentes serão «reprogramados, sendo o seu lugar ocupado por doentes disponíveis para serem operados agora».
 

 

O responsável pela pasta revelou que há 8258 intervenções em lista de espera, com dia marcado, explicando ainda que, só em Novembro (mês da estreia do novo programa de combate às listas de espera), já se realizaram mais de duas mil operações, fora do horário de trabalho das equipas médicas.
 

 

Segundo os últimos dados do Ministério da Saúde (MS), os Hospitais da Universidade de Coimbra fizeram, entre 4 de Novembro e 11 de Dezembro, 753 cirurgias a doentes em lista de espera, tornando-os líderes no combate às listas.
 

 

Contudo, estão ainda à espera cerca de 123 mil doentes. Os hospitais públicos não poderão tratar de cerca de 58 mil desses casos, mas o MS pensa obviar o problema recorrendo a contratos com as misericórdias e mútuas – com capacidade para 70 mil operações, segundo declarações do secretário de Estado da Saúde, Carlos Martins.
 

 

Fonte: Correio da Manhã
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.