Doentes com sida vivem mais tempo

Dados do relatório da ONUsida

24 novembro 2011
  |  Partilhar:

A infecção pelo vírus HIV, causador da sida, está a estabilizar no mundo, com a diminuição das novas infecções e do número de mortes e o aumento do número de pessoas a viver com o vírus, refere o relatório da ONUsida divulgado esta semana.

 

Em 2010 registaram-se 2,7 novas infecções pelo vírus de imunodeficiência humana (VIH), o número mais baixo desde 1997 e uma redução de 21% em relação ao pico atingido nesse ano. No final de 2010, cerca de 34 milhões de pessoas viviam com o vírus, o número mais alto de sempre que, segundo os especialistas, se deve ao aumento da sobrevivência. No mesmo ano, 1,8 milhões de pessoas morreram de doenças relacionadas com a sida, contra 1,9 milhões em 2009.

 

Quase metade (47% ou seja 6,6 milhões) das 14,2 milhões de pessoas elegíveis para tratamento tem acesso à terapia antiretroviral, segundo estimativas da ONUsida e da Organização Mundial de Saúde, mais 1,35 milhões que em 2009.

 

A região do mundo mais afectada continua a ser o sul de África, onde se registam cerca de dois terços (68% ou 22,9 milhões) dos casos de pessoas infectadas. Esta região apresenta, contudo, uma diminuição de novos contágios equivalente à do resto do mundo: menos 26% que em 1997. Outras zonas do mundo apresentam resultados diferentes. No leste da Europa, com 1,5 milhões de seropositivos, e na América do norte e Europa ocidental, onde os números “se mantêm teimosamente invariáveis”, segundo o relatório: 2,2 milhões, mais de metade nos EUA.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.