Doentes com insuficiência respiratória crónica monitorizados via smartphone

Iniciativa do hospital de Viana do Castelo

13 janeiro 2016
  |  Partilhar:

O serviço de pneumologia do hospital de Viana do Castelo "personalizou" uma aplicação para 'smartphones' que permite monitorizar os doentes com insuficiência respiratória crónica, à distância e em tempo real, reduzindo drasticamente as deslocações à urgência.
 

"Percebemos que tínhamos que adaptar a tecnologia a cada doente para a eficácia do sistema e por outro lado face ao nível cultural baixo dos pacientes selecionados, alguns dos quais nunca tiveram um telemóvel na vida", explicou à agência Lusa, o diretor do serviço pneumologia, Rui Nêveda.
 

O projeto de telemedicina, a decorrer há mais de um ano da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), acompanha 15 pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC), que se estima afete cerca de 5,3% população portuguesa, sendo o tabagismo a maior causa.
 

"Era impossível colocar o projeto em prática tal como tinha sido desenhado. Foi preciso simplificar toda a tecnologia, adaptando-a ao doente porque todos são diferentes, tem níveis de escolaridade diferentes, apesar de todos terem uma patologia grave", explicou.
 

Há 23 anos responsável pela área de pneumologia do hospital da capital do Alto Minho, Rui Nêveda apontou que o "segredo do sucesso" deste projeto passou por "aliar a tecnologia de ponta ao conhecimento médico".
 

O médico explicou que "o doente coloca o dedo no oxímetro, e os parâmetros do seu estado de saúde são transmitidos para o sistema, sediado na unidade de cuidados intensivos do hospital, permitindo, em tempo real, a avaliação dos dados".
 

"Os resultados são excelentes. Há uma redução de 50% de idas ao serviço de urgência e, consequentemente, uma redução em cerca de 70% de internamentos", adiantou Rui Nêveda.
 

"Isto não é um 'call center'. Não é alguém impessoal que está do outro lado do telefone a dar indicações. Preservamos as relações humanas entre o paciente e o profissional de saúde e, por isso, é um sistema que transmite muita segurança", frisou.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.