Doentes bipolares correm maior risco de suicídio

Dados das XII Jornadas de Saúde Mental do Algarve

01 maio 2006
  |  Partilhar:

 

Os doentes que sofrem de perturbação bipolar têm um tipo de depressão mais grave que as restantes depressões devido ao risco mais elevado de suicídio, segundo considerou o psiquiatra Bessa Peixoto durante as XII jornadas de Saúde Mental do Algarve.
 

 

«Há uma nova tendência para se reclassificar a perturbação bipolar, o que nos leva a crer que alguns doentes com depressões unipolares possam vir a ser considerados doentes com depressão bipolar», esclareceu o psiquiatra e presidente da Sociedade Portuguesa de Suicidologia.
 

 

Durante as XII Jornadas de Saúde Mental do Algarve, que terminaram sexta-feira passada, foram discutidas as diferentes terapêuticas nos doentes com perturbação bipolar, em particular nos doentes com quadros depressivos, uma vez que as depressões bipolares têm estratégias diferentes de tratamento.
 

 

Bessa Peixoto salientou ainda que as depressões bipolares revelam-se mais cedo em jovens adultos (20-30 anos) enquanto as unipolares têm maior incidência entre os 40 e 50 anos. As depressões bipolares têm um início mais súbito e com episódios mais numerosos do que as unipolares. Quanto à incidência, as depressões unipolares são mais frequentes nos doentes do sexo feminino e sofrem também de mais manifestações de ansiedade. A perturbação bipolar atinge 0.8 a 1.6 por cento da população mundial, sendo que em Portugal os números são idênticos.
 

 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.