Doente de cancro comete suicídio assistido na Austrália
24 maio 2002
  |  Partilhar:

Nancy Crick, uma australiana de 69 anos que sofria de cancro em fase terminal, suicidou-se na quarta-feira na presença de amigos e familiares. A sua morte relançou, no país, o debate sobre a eutanásia, que os Territórios do Norte chegaram a legalizar, mas a lei foi anulada pelo Governo central.
 

 

Nancy Crick, que vivia em Gold Coast, uma estância balnear no Oeste australiano, morreu após a ingestão de uma "overdose" de medicamentos, indicou ontem a polícia. O cancro tornava-lha a vida insuportável, revelaram os seus próximos. Foi por isso que optou pelo suicídio assistido.
 

 

"Vinte e uma pessoas estavam presentes. Tudo correu de forma pacífica", contou, citado pela AFP, o médico Philip Nitschke, um dos principais defensores da eutanásia da Austrália.
 

 

Em 1995, quando o estado australiano dos Territórios do Norte aprovou uma lei que legalizava a eutanásia, quatro doentes deste médico pediram o suicídio assistido. Porém, alguns meses e muita polémica depois, o primeiro-ministro John Howard anulou a legislação estadual.
 

 

Veja mais no: Público
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.