Doenças oncológicas responsáveis pela morte de 22 mil pessoas em 2006

Dados do Instituto Nacional de Estatística

05 fevereiro 2009
  |  Partilhar:

Mais de 22 200 pessoas morreram em Portugal devido a doenças oncológicas em 2006, segundo os últimos dados disponíveis do Instituto Nacional de Estatística (INE), que indicam uma diminuição destes óbitos de 2,25% entre 2005 e 2006.
 

 

De acordo com o boletim mensal de estatística de Dezembro de 2008, citado pela agência Lusa, os tumores malignos que mais vitimaram foram os da laringe/traqueia, brônquios e pulmões (3 577), seguindo-se o cancro do cólon (2 405) e o cancro do estômago (2 273). O cancro que, entre 2005 e 2006, registou uma maior subida de óbitos foi o cancro da bexiga (10,92%). Em 2006, esta doença vitimou 701 pessoas.
 

 

Nas descidas, as variações mais significativas registaram-se no cancro do colo do útero (menos 12,32%) e esófago (menos 11,65%). Em 2006, o cancro do colo do útero matou 185 pessoas e o do esófago 508.
 

 

No entanto, são as doenças do aparelho circulatório que continuaram a ser a principal causa de morte, com um registo de 32 993 óbitos. Contudo, refere o mesmo boletim, numa comparação com 2005 as mortes devido a estas patologias registaram um decréscimo de 10,96%.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.