Doença periodontal associada a um maior risco de diabetes

Estudo publicado no “Journal of Public Health Dentistry”

17 dezembro 2009
  |  Partilhar:

As pessoas que apresentam doença periodontal devem realizar o despiste da diabetes (níveis de glicose no sangue), sugere um estudo publicado no “Journal of Public Health Dentistry”.

 

O estudo, liderado por Shiela Strauss, dos Colleges of Dentistry and Nursing de Nova Iorque, analisou dados de 2.923 adultos que participaram, em 2003-2004, no National Health and Nutrition Examination Survey, e que não tinham sido diagnosticados com diabetes.

 

Esta pesquisa, coordenada pelo National Center for Health Statistics of the Centers for Disease Control and Prevention, teve por base avaliar a saúde e estado nutricional de adultos e crianças nos EUA.

 

A análise, realizada por Shiela Strauss, verificou que nas quase 3 mil pessoas que não tinham diabetes, os resultados indicaram que, entre os que não apresentavam problemas orais, 63% tinham um risco aumentado de diabetes, enquanto nos que tinham doença periodontal, 93% estavam em risco de ter diabetes.

 

A doença periodontal é uma condição marcada por inflamação ou infecção nas gengivas e tecidos de suporte dos dentes. As orientações da American Diabetes Association recomendam a triagem da diabetes em pessoas com mais de 45 anos que apresentam excesso de peso (índice de massa corporal igual ou superior a 25) e em pessoas com menos de 40 anos que tenham excesso de peso e, pelo menos, um factor de risco adicional da doença.

 

Na nova pesquisa, dois desses factores de risco adicionais – pressão arterial elevada e ter um familiar de primeiro grau (pais ou irmãos) com diabetes – foram relatados num número significativo de pessoas com doença periodontal, quando comparadas com pessoas que não apresentavam a doença oral.

 

O estudo também verificou que metade dos pacientes com doença periodontal e alto rico de diabetes tinham visitado o dentista no ano anterior à realização do estudo. Face a estes resultados, a líder do estudo, citada pelo sítio Eurekalert, sugere uma maior participação dos estomatologistas/médicos dentistas no despiste inicial da diabetes, que poderia ser feita no consultório através da avaliação dos factores de risco e de uma análise ao sangue.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.