Doença do fígado gordo e doença cardiovascular estão associadas

Estudo publicado no “Journal of Hepatology”

15 novembro 2016
  |  Partilhar:

Investigadores americanos demonstraram que existe uma relação bidirecional entre a doença do fígado gordo e a doença cardiovascular, refere um estudo publicado no “Journal of Hepatology”
 

O estudo levado a cabo pelos investigadores da Escola de Medicina da Universidade de Boston, nos EUA, é importante para compreender a associação entre as duas doenças, uma vez que a doença cardiovascular continua a ser uma das principais causas de morbilidade e mortalidade.
 

Os investigadores referem que devido ao aumento da prevalência da obesidade, a doença do fígado gordo tem-se tornado na doença hepática mais comum nos EUA. Por outro lado, a obesidade é também um fator de risco da doença cardiovascular. Desta forma, ambas as doenças existem em muitos pacientes.
 

Estudos anteriores demonstraram que existe uma ligação entre a doença do fígado gordo e a doença cardiovascular. Contudo, ainda não se compreendeu completamente se a doença do fígado gordo precede ou se desenvolve após a doença cardiovascular.
 

Através da análise dos dados dos participantes do Estudo Framingham do Coração, os investigadores constataram que os indivíduos com doença do fígado gordo desenvolviam doença cardiovascular, como pressão arterial elevada e diabetes tipo 2, em seis anos. Numa análise paralela, verificou-se que os indivíduos com pressão arterial elevada, com diabetes tipo 2 e com níveis elevados de triglicerídeos eram mais propensos a desenvolver doença do fígado gordo.
 

Michelle Long, uma das autoras do estudo, referiu que este estudo demonstrou que há uma associação bidirecional entre a doença do fígado gordo e a doença cardiovascular. A investigadora acrescentou que foi observado que a doença do fígado gordo era um fator importante no desenvolvimento da pressão arterial elevada e diabetes e que o contrário também era verdade, ou seja, que algumas doenças cardiovasculares também estavam associadas ao desenvolvimento do fígado gordo ao longo de seis semanas.
 

Este estudo chama assim a atenção para a necessidade de desenvolver estratégias de prevenção e tratamento para a doença do fígado gordo de forma a melhorar a saúde cardiovascular.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Comentários 0 Comentar