Doença de Parkinson: nova esperança de tratamento?
07 abril 2014
  |  Partilhar:

Uma equipa internacional de investigadores, liderada por um português, deu mais um passo no desenvolvimento de estratégias terapêuticas contra a doença de Parkinson e cancro.

 

O estudo desenvolvido por um grupo do Instituto de Medicina Molecular (IMM) liderado por Tiago Outeiro, e investigadores na Alemanha e no Reino Unido, demonstrou que a doença de Parkinson pode ter uma causa genética - até recentemente os indícios apontavam para causas ambientais – trazendo assim uma nova esperança para o seu tratamento.

 

“Procurámos estudar um dos genes associados à doença de Parkinson, o gene que codifica a proteína DJ-1. Este gene está associado também ao cancro, porque pensa-se que a função da proteína está relacionada com a defesa contra stress oxidativo”, revelou à agência Lusa Tiago Outeiro.

 

Uma vez identificada a função do gene defeituoso, deverá ser mais fácil identificar “onde é que as coisas correram mal”, sendo a DJ-1 um exemplo particularmente interessante, porque é um gene que causa várias formas de Parkinson, mas também está associado ao cancro, ao Alzheimer e a outras doenças neurodegenerativas, sugerindo assim que desempenha um papel importante na proteção contra os efeitos do envelhecimento.

 

Uma vez que o estudo das proteínas humanas “é complexo”, os investigadores utilizaram modelos de estudo mais simples, como é o caso das leveduras. “ Tirámos partido da semelhança entre leveduras e células humanas e estudámos o gene DJ-1, na levedura” explicou o investigador.

Os investigadores perceberam que, em leveduras, a exclusão de DJ-1 do genoma perturba vários mecanismos de proteção celular e, em última instância, a sobrevivência deste organismo.

 

De acordo com Tiago Outeiro, a descoberta “inovadora” é que “estas proteínas estão envolvidas na regulação de uma via TORC, que é muito importante, porque regula muitas funções celulares, incluindo o processo de autofagia – degradação de proteínas dentro das células para reciclagem”.

 

Desta forma foi possível perceber que o gene DJ-1 modula a proteína TORC, que regula o envelhecimento, gerindo o equilíbrio entre a formação e a destruição de proteínas, o que aponta para que esta molécula possa ser a chave para a doença de Parkinson.

 

Segundo Tiago Outeiro, esta descoberta abre novas portas: “Ao conhecermos estas proteínas vamos ser capazes de desenvolver estratégias terapêuticas e intervir na doença”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.