Doença de Alzheimer: cocktail de nutrientes melhora memória

Estudo publicado no “Journal of Alzheimer's Disease”

13 julho 2012
  |  Partilhar:

Beber diariamente um cocktail de nutrientes pode melhorar a memória dos pacientes com Alzheimer em estádio inicial, sugere um estudo publicado no “Journal of Alzheimer's Disease”.

 

Os pacientes com Alzheimer perdem gradualmente as sinapses o que conduz à perda de memória e a outros distúrbios cognitivos. “Queremos aumentar o número de sinapses, não retardando a sua degradação mas sim aumentando a sua produção”, revelou, em comunicado de imprensa, o investigador do MIT, Richard Wurtman.
 

Assim, de forma a aumentar o número de sinapses, o investigador criou uma bebida composta por três compostos dietéticos naturais: colina, uridina e um tipo de ácido gordo ómega-3, o ácido docosa-hexaenóico (DHA). A colina pode ser encontrada na carne, nozes e ovos, os ácidos gordos ómega-3 estão presentes em vários alimentos, como peixes, ovos e linhaça. Por último, a uridina é produzida pelo fígado e rim, estando presente em alguns alimentos.
 

Os investigadores explicam que estes nutrientes são percursores de moléculas lipídicas que, conjuntamente com proteínas específicas, formam as membranas das células cerebrais que formam as sinapses. Para ser eficaz, os três percursores têm de ser administrados conjuntamente.
 

Estudos anteriores realizados em animais demonstraram que a ingestão desta mistura, conhecida por Souvenaid, aumentava a formação de sinapses e consequentemente a função cerebral. Neste estudo liderado por Philip Scheltens da University Medical Center, na Holanda, foram acompanhados 259 indivíduos com Alzheimer. Os investigadores administraram diariamente e ao longo de seis meses Souvenaid ou um placebo. Foi verificado que durante os três primeiros meses, os dois grupos de participantes apresentaram melhorias na memória verbal. Contudo, enquanto a memória dos participantes do grupo de controlo começou a deteriorar-se ao fim deste período, a dos pacientes que tinham ingerido o Souvenaid continuou a apresentar melhorias.
 

Ao longo do estudo os investigadores verificaram, através da utilização de um eletroencefalograma, que os cérebros dos participantes que tinham ingerido Souvenaid alteraram o seu padrão típico de demência para um padrão com características mais normais. Como os padrões cerebrais obtidos por eletroencefalograma refletem a atividade cerebral sináptica, segundo os autores do estudo esta função melhorou com o tratamento.
 

Este produto irá ser alvo de estudo durante dois anos. Caso se obtenham resultados positivos, os pacientes com os primeiros sinais da doença de Alzheimer poderão beneficiar deste tratamento antes dos sintomas aparecerem, de acordo com Richard Wurtman.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.