Doença cardiovascular: quais são os compostos benéficos do vinho tinto?

Estudo publicado no “American Journal of Clinical Nutrition”

23 janeiro 2012
  |  Partilhar:

Cientistas espanhóis tentaram resolver o mistério que envolve o efeito do consumo de vinho tinto na diminuição do risco de doenças cardiovasculares, tendo concluído que este efeito benéfico se deve à presença do álcool e dos polifenóis presentes neste tipo de vinho, dá conta um estudo publicado no “American Journal of Clinical Nutrition”.

 

Para o estudo os investigadores do Institut d'Investigacions Biomèdiques August Pi i Sunyer, em Espanha contaram com a participação de 67 indivíduos que apresentavam um elevado risco de doença cardiovascular devido ao seu elevado índice de massa corporal, tabagismo, diabetes, hipertensão e outros fatores de risco. Cerca de metade dos participantes estavam a tomar inibidores da enzima de conversão da angiotensina, estatinas, aspirina e /ou fármacos hipoglicémicos.

 

Os participantes concordaram em não consumir qualquer bebida alcoólica durante um período inicial, o qual foi seguido por três períodos de um mês de consumo de 30 g / dia de álcool através da ingestão de vinho tinto ou uma quantidade equivalente de compostos fenólicos provenientes do vinho tinto sem álcool. A quantidade de polifenóis do vinho tinto e do vinho tinto sem álcool era idêntica.

 

O estudo avaliou um grande número de proteínas, moléculas de adesão e quimocinas, que afetam o processo de inflamação e estão envolvidas no desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

 

Os investigadores liderados por Chiva-Blanch G concluíram que tanto o etanol como os compostos não alcoólicos apresentam potenciais efeitos protetores que poderão reduzir o risco de doença cardiovascular. Os autores do estudo revelaram, em comunicado de imprensa, que” o conteúdo fenólico do vinho tinto poderá modelar as moléculas de adesão presentes nos leucócitos, enquanto que tanto o etanol como os polifenóis presentes no vinho tinto podem estar envolvidos na modulação de mediadores inflamatórios em pacientes com elevado risco de doença cardiovascular”.

 

Assim, de acordo com os resultados deste estudo, a diminuição do risco cardiovascular entre os consumidores de vinho tinto, observada em vários estudos epidemiológicos, é o resultado da combinação do álcool e dos polifenóis do vinho tinto.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 2Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.