Doença bipolar: fármaco produz efeitos antidepressivos em poucos minutos

Estudo publicado na revista “Biological Psychiatry”

05 junho 2012
  |  Partilhar:

Investigadores americanos descobriram que o fármaco cetamina consegue diminuir rapidamente os sintomas depressivos dos indivíduos que sofrem de doença bipolar, dá conta um estudo publicado no “Biological Psychiatry”. 

 

A doença bipolar é uma doença psiquiátrica grave e debilitante, onde os indivíduos sentem oscilações graves de humor entre a mania e a depressão. Os episódios de baixo ou elevado humor podem ter uma duração de dias ou meses sendo o risco de suicídio elevado.

 

Os antidepressivos são comummente prescritos para tratar ou prevenir os episódios depressivos, mas não são universalmente eficazes. Vários pacientes continuam a ter períodos de depressão, mesmo durante o tratamento, e muitos tentam vários tipos de antidepressivos antes de encontrar um que funcione. Adicionalmente, pode demorar várias semanas até que o tratamento comece a surtir algum efeito.

 

Assim, é necessário encontrar, com urgência, tratamentos mais eficazes. Estudos anteriores levados a cabo pela mesma equipa de investigação do National Institute of Mental Health, nos EUA, já tinham constatado que a toma única de um fármaco conhecido por cetamina apresentava efeitos antidepressivos rápidos nos pacientes com doença bipolar que estavam depressivos.

 

Neste estudo, os investigadores tentaram replicar os mesmos resultados administrando uma dose única de cetamina e de placebo a um grupo de pacientes em dois dias diferentes com duas semanas de intervalo. Os pacientes foram monitorizados sendo submetidos a testes para avaliação dos seus sintomas depressivos e pensamentos suicidas.

 

O estudo apurou que os indivíduos aos quais tinha sido administrado cetamina apresentavam uma melhoria dos sintomas depressivos após 40 minutos, os quais permaneciam ao longo de três dias. No geral, 79% dos pacientes melhoraram com cetamina, mas nenhum dos pacientes sentiu qualquer tipo de melhoria quando tomaram o placebo.

 

Os investigadores também verificaram, pela primeira vez, que a toma de cetamina reduziu significativamente os pensamentos suicidas dos pacientes com doença bipolar depressiva, os quais ocorreram uma hora após a administração do fármaco. Assim, tendo em conta que a doença bipolar é um dos distúrbios psiquiátricos mais letais, estes resultados poderão ter um grande impacto na saúde pública.

 

“Acreditamos que estes resultados são muito importantes dado que existem poucos tratamentos aprovados para a doença bipolar depressiva, e nenhum deles tem um tão rápido poder de ação, habitualmente demoram semanas até surtirem algum efeito”, revelou, em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Carlos Zarate.

 

A cetamina é um antagonista do recetor N-metil-D-aspartato, o que significa que bloqueia a ação do N-metil-D-aspartato. “Assim, a confirmação de que o bloqueio do recetor do N-metil-D-aspartato está envolvido nos rápidos efeitos antidepressivos e anti-suicidas pode ajudar a desenvolver uma nova geração de tratamentos que são radicalmente diferentes dos existentes”, conclui o investigador.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 2Média: 5
Comentários 2 Comentar

cetamina

cetamina

cetamina

cetamina para bipolares

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.