Documento da Inspecção-Geral de Saúde descreve relações «viciadas» entre médicos e a Bayer
08 fevereiro 2002
  |  Partilhar:

Um documento elaborado pela Inspecção-Geral da Saúde (IGS) descreve minuciosamente a forma como os delegados da Bayer escolhiam e concediam apoios financeiros a médicos, para os incentivar a utilizar medicamentos e promover a imagem da multinacional.
 

 

O documento, a que o jornal «Público» teve acesso, integra um conjunto mais vasto de relatórios elaborados pela IGS sobre "as relações perigosas" entre clínicos e indústria farmacêutica, denunciadas publicamente pelo ex-delegado de informação médica (DIM) Alfredo Pequito.
 

 

Com base nas provas reunidas e em inquéritos a médicos, este organismo apurou que a Bayer apoiou com verbas destinadas a congressos, de forma sistemática e periódica, certos clínicos seleccionados, que receitam em quantidades significativas quatro produtos da multinacional.
 

 

Estes médicos, cujo número não é identificado neste documento, não prescrevem quaisquer medicamentos similares aos do laboratório ou fazem-no em quantidade insignificante, apesar de dois dos medicamentos da Bayer analisados, Ciproxina e Adalat, serem mais caros do que todos os remédios similares existentes no mercado em 1997.
 

 

Ver mais em: Público
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.