Dieta vegetariana reduz num terço o risco de doenças vasculares

Estudo publicado no “American Journal of Clinical Nutrition”

04 fevereiro 2013
  |  Partilhar:

Um novo estudo demonstra que os vegetarianos apresentam um risco menor de serem hospitalizados ou de morrerem devido a problemas cardiovasculares, quando comparados com as pessoas que consomem carne e peixe.
 

As doenças cardiovasculares são responsáveis por 65.000 mortes no Reino Unido anualmente, constituindo a principal causa de morte nos países desenvolvidos.
 

Publicado no “American Journal of Clinical Nutrition”, este estudo vem demonstrar que a adoção de uma dieta vegetariana reduz num terço o risco de doenças cardiovasculares.
 

A equipa liderada por Francesca Crowe, da Oxford University, contou com a participação de 45.000 voluntários de Inglaterra e Escócia, recrutados durante os anos 90, sendo um terço dos mesmos vegetarianos. A equipa considera que o facto de contarem com elevado número de participantes vegetarianos possibilitou estabelecer uma comparação mais exata da incidência de problemas cardiovasculares entre vegetarianos e não-vegetarianos.
 

No início do estudo foram recolhidos dados sobre a saúde e estilo de vida dos participantes. Cerca de 20.000 destes participantes foram acompanhados até 2009, tendo também sido obtidos os dados relativos a tensão arterial e níveis de colesterol.
 

Durante o período de acompanhamento foram identificados problemas cardiovasculares em 1.235 participantes, incluindo 169 mortes por doença cardiovascular. A equipa descobriu que os vegetarianos apresentavam um risco 32% menor de serem hospitalizados ou de morrerem devido a problemas cardiovasculares, quando comparados com os não-vegetarianos. Os investigadores obtiveram estes resultados tendo em consideração fatores como a idade, hábito de fumar, atividade física, consumo de álcool, contexto socioeconómico e perfil académico.
 

Segundo os investigadores, em comparação com os não-vegetarianos, os vegetarianos exibiam níveis mais baixos de colesterol e tensão arterial, fatores que são tidos como as principais razões para apresentarem riscos menores de problemas cardiovasculares.
 

Francesca Crowe explica que “a diferença no risco é provavelmente devida, em grande parte, aos efeitos do colesterol e da pressão arterial e vem demonstrar o importante papel desempenhado pela dieta na prevenção de problemas cardiovasculares”.
 

As dietas vegetarianas conduziram, de forma geral, a índices de massa corporal menores e a menos casos de diabetes. Estudos anteriores tinham já demonstrado que a adoção de uma dieta vegetariana e a prática de exercício físico três ou mais vezes por semana poderiam reduzir o risco de diabetes de forma significativa. Contudo o índice de massa corporal e a diabetes não pareceram exercer grandes influências sobre os resultados.
 

Os autores do estudo concluem que “estas descobertas vêm reforçar a ideia que a dieta é fulcral na prevenção de doenças cardiovasculares e dá continuidade a estudos prévios sobre a influência das dietas vegetarianas”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.