Dieta saudável diminui risco de doença pulmonar obstrutiva crónica

Estudo publicado no “The British Medical Journal”

06 fevereiro 2015
  |  Partilhar:

A adoção de uma dieta rica em cereais integrais, gorduras polinsaturadas e frutos secos de casca rija, assim como pobre em carne vermelha e processada, cereais refinados e bebidas açucaradas está associada um menor risco de doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), sugere um estudo publicado no “The British Medical Journal”.
 

A DPOC é um termo utilizado na designação de doenças pulmonares crónicas, como o enfisema e a bronquite, que bloqueiam as vias aéreas e restringem o fluxo de oxigénio em todo o organismo.
 

Atualmente esta doença está classificada como a terceira causa de morte no mundo. O principal fator de risco da doença pulmonar obstrutiva crónica nos países desenvolvidos é o consumo de tabaco, mas um terço dos pacientes atingidos pela doença nunca fumou, o que sugere que existem outros fatores envolvidos. Adicionalmente, a adoção de uma dieta saudável tem sido consistentemente associada a uma redução do risco de doença cardíaca e cancro. No entanto, o seu papel na doença pulmonar obstrutiva crónica ainda é desconhecido.
 

Foi neste contexto que uma equipa de investigadores franceses e americanos decidiu analisar a associação entre o Índice Alternativo de Alimentação Saudável 2010 (AHEI-2010), uma medição da qualidade da dieta, e o risco de DPOC. Foram analisados os dados de mais de 120 mil indivíduos. Os participantes foram convidados a preencher regularmente um questionário sobre a dieta adotada e os que tinham sido diagnosticados com enfisema ou bronquite crónica entre 1984 e 2000 também foram avaliados para DPOC.
 

A pontuação do índice AHEI-2010 é baseada em 11 componentes. Uma pontuação mais elevada é sinónimo de um elevado consumo de vegetais, cereais integrais, gorduras polinsaturadas, frutos secos de casca rija e ácidos gordos ómega-3, um consumo moderado de álcool e um baixo consumo de carne vermelha e processada, cereais refinados e bebidas açucaradas.
 

Ao longo do período de acompanhamento, foram diagnosticados 723 novos casos de DPOC em mulheres e 197 casos nos homens. Após terem ajustado alguns fatores que poderiam afetar os resultados, os investigadores constataram que o risco de um novo diagnóstico de DPOC era um terço mais baixo nos participantes que adotaram a dieta AHEI-2010 mais saudável comparativamente com aqueles que adotaram uma dieta menos saudável. Os resultados foram similares entre os ex-fumadores e os fumadores atuais, bem como entre homens e mulheres. Contudo, não foi encontrada qualquer associação entre a pontuação na dieta AHEI-2010 e a incidência de asma.
 

“Este é um novo achado que apoia a importância da dieta na patogénese da DPOC. Apesar de os esforços para a prevenção da DPOC se deverem focar na cessação tabágica, estes achados apoiam a importância de uma dieta saudável em programas de múltiplas intervenções para prevenir a DPOC”, concluem os autores do estudo.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar