Dieta rígida pode ser contraproducente

Crianças que fazem restrições alimentares engordam, diz estudo

09 outubro 2003
  |  Partilhar:

As crianças que fazem dieta têm mais probabilidade de ganhar peso a longo prazo do que as que comem normalmente.
 

 

Médicos americanos dizem que isso pode se dar devido a mudanças no metabolismo das crianças, mas que é mais provável que a causa seja o facto de que as crianças não seguirem um regime alimentar por um longo período de tempo e, quando param de fazer dieta, passam a comer mais.
 

 

Um estudo envolvendo cerca de 16 mil crianças com idades entre nove e 14 anos chegou à conclusão de que, aquelas que diziam estar a comer menos calorias e a fazer exercício físico, estavam na verdade a engordar.
 

 

A equipa de um hospital de Boston, Massachusetts, acompanhou as crianças de 1996 a 1998. Os mais pequenos tiveram de preencher questionários sobre os seus hábitos alimentares. Os investigadores descobriram que cerca de 30 por cento das raparigas e 16 por cento dos rapazes estavam a fazer algum tipo de dieta quando o estudo foi iniciado.
 

 

E, apesar de as crianças terem dito que estavam mais activas e a comer menos calorias, ganharam mais peso do que as que não estavam de dieta.
 

 

Uma rapariga que dizia estar em dieta ganhou cerca de um quilo ao ano mais do que as meninas da idade dela que não estavam a controlar o peso.
 

 

As meninas que faziam dietas com menor frequência engordavam um pouco menos, mas ainda mais do que as que não faziam dieta alguma. Dados semelhantes foram observados entre os rapazes.
 

 

Os investigadores disseram que no período analisado seriam «os ciclos repetitivos de comer muito entre as dietas que estavam a causar o problema».
 

 

Ainda que as dietas controladas por médicos possam ser proveitosas para jovens que estão acima do peso, o estudo sugere que para muitos a dieta não só é ineficaz como também pode ser contraproducente.
 

 

Os médicos dizem que jovens e adultos que não estão com peso extremamente acima do normal deveriam ser encorajados a seguir «uma modesta e, portanto mais sustentável, dieta que inclui actividade física e não requer uma restrição muito acentuada de calorias».
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

Jornalista
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.