Dieta rica em gordura na gravidez altera metabolismo do bebé

Estudo publicado na revista “Cell”

03 fevereiro 2014
  |  Partilhar:

Os filhos de mães obesas que tenham seguido uma dieta rica em gordura durante a gestação apresentam um risco maior de obesidade vitalícia, e doenças metabólicas relacionadas, do que os de mães magras, aponta um novo estudo.
 

Conduzido pela Escola de Medicina de Yale, EUA, e pela Universidade de Colónia na Alemanha, o estudo demostrou igualmente que os filhos cujas mães tenham consumido uma dieta rica em gordura durante o período de lactação apresentavam circuitos neuronais anormais no hipotálamo, uma região-chave do cérebro que regula o metabolismo.
 

Um dos autores, Tamas Horvath comenta que "o nosso estudo sugere que as mulheres grávidas podem exercer um profundo impacto na saúde metabólica de longo-termo dos seus filhos através de um controlo nutricional adequado durante este período de desenvolvimento crucial da descendência”.
 

Para o estudo, a equipa de investigadores desenvolveu um modelo de programação metabólica em ratinhos. As crias de fêmeas que durante a amamentação tinham sido alimentadas com uma dieta rica em gordura apresentavam ligações neuronais no hipotálamo anormais e sinalização de insulina alterada no circuito cerebral. Estes ratinhos mantiveram-se com peso a mais, apresentando anormalidades no metabolismo da glicose durante a vida.
 

Na consequência das descobertas, a equipa considera que o terceiro trimestre da gestação em humanos constitui o período mais significativo para o desenvolvimento dos circuitos neuronais. Nos ratinhos, os circuitos neuronais continuam a desenvolver-se após o nascimento, mas nos humanos encontram-se totalmente desenvolvidos à nascença.
 

Sendo assim, o último trimestre da gestação nos seres humanos carece de especial atenção no que concerne a dieta materna já que terá uma enorme e duradoura influência sobre a saúde metabólica do filho.
 

Segundo Tamas Horvath "as mães conseguem controlar e mesmo reverter a predisposição nos seus filhos para a obesidade e doenças resultantes, mediante alterações na sua alimentação”. O investigador acrescenta ainda que “devido ao facto de a diabetes gestacional frequentemente se manifestar durante o terceiro trimestre, os resultados poderiam fornecer mais informação relativamente à proteção das mães nas alterações no metabolismo da glicose”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.