Dieta mediterrânica impede o desenvolvimento de espinha bífida nos bebés

Estudo do Erasmus Medical Center

23 fevereiro 2009
  |  Partilhar:

Um estudo realizado no Erasmus Medical Center, de Roterdão, revela que as futuras mães podem prevenir o aparecimento de espinha bífida nos bebés através da adopção de uma dieta mediterrânica.
 

 

De forma a perceber se a dieta mediterrânica teria um papel importante no risco de desenvolvimento de espinha bífida, a equipa de investigação liderada pelo Dr. Regine P. M. Steegers-Theunissen comparou as dietas de 50 mulheres que tinham dado à luz bebés com espinha bífida e de 81 mães de crianças saudáveis.
 

 

Os investigadores descobriram que as mulheres cuja dieta mais se distanciava da mediterrânica tinham um risco três vezes maior de terem filhos com esta doença. Por outro lado, quanto mais perto estavam da adopção de um regime dietético mediterrânico maior eram os níveis de folato e vitamina 12 no sangue.
 

 

No sul da Europa, região de origem da dieta mediterrânica, a taxa de espinha bífida é baixa e este defeito também é menos comum em países onde se reforça a alimentação com folatos.
 

 

Estudos recentes têm demonstrado que o consumo de ácido fólico ajuda na prevenção desta doença. No entanto, em declarações à Reuters Health, o Dr. Regine Steegers-Theunissen revela que “não é só o folato que protege, mas toda a dieta. É o balanço da dieta na qual o folato é um componente importante”.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.