Dieta mediterrânica ajuda a proteger os ossos

Estudo publicado na revista “Journal of Clinical Endicronology and Metabolism”

20 agosto 2012
  |  Partilhar:

Um estudo recente comprovou que a adoção de uma dieta mediterrânica, que inclua o consumo de azeite, por um período de dois anos favorece o aumento da proteção dos ossos do indivíduo, resultando no aumento da concentração da osteocalcina sérica..

 

A dieta mediterrânica contém muitos legumes e fruta, é rica em gorduras monoinsaturadas e fibra, e possui um elevado teor de sal. Este tipo de dieta tem normalmente um baixo teor de gorduras saturadas.

 

Com o avançar da idade, muitas mulheres e homens sofrem frequentemente de osteoporose,   perda de massa óssea e de diminuição na força dos seus ossos, o que conduz a um alto risco de fraturas. Estudos realizados demonstraram que os níveis de osteoporose na Europa são muito mais baixos na área do Mediterrâneo.

 

O grupo multidisciplinar PREDIMED (Prevencion com Dieta Mediterranea) dedica-se a estudos controlados do efeito da dieta mediterrânica sobre a prevenção de problemas cardiovasculares. O estudo foi conduzido num dos centros de investigação do grupo e contou com a participação de 127 homens com idades compreendidas entre os 55 e os 80 anos e que viviam na sua comunidade desde há um período considerável de tempo.

 

Os participantes nunca tinham tido problemas cardiovasculares mas eram diabéticos ou apresentavam riscos de virem a ter problemas cardiovasculares, tal como hipertensão ou dislipidemia, ou tinham um histórico familiar de doenças cardiovasculares prematuras.

 

Os investigadores dividiram os voluntários por três grupos de intervenção com dietas diferentes: um grupo com uma dieta de baixa gordura, um grupo com uma dieta mediterrânica que incluía azeite virgem e finalmente um grupo com uma dieta mediterrânica que incluía frutos secos variados.

 

Foram efetuadas medições bioquímicas, antes e dois anos após início do estudo, através de amostras de sangue, do seguinte: glicose, osteocalcina, colesterol total, colesterol HDL e triglicerídeos.

 

Os resultados das medições demonstraram que a dieta mediterrânica rica em azeite conduziu a uma enorme subida na concentração de osteocalcina total, tal como noutros fatores indicadores de formação de ossos.

 

Os níveis de cálcio sérico diminuíram nos outros dois grupos, enquanto se mantiveram inalterados nos participantes que integravam o grupo que seguiu a dieta mediterrânica com azeite.

 

O principal autor do estudo, José Manuel Fernandéz-Real, médico doutorado do Hospital Dr. Josep Trueta em Girona, Espanha, concluiu que “é importante que tenhamos em conta que a osteocalcina que circulava estava associada à secreção de insulina preservada nos elementos que consumiram azeite. A osteocalcina tem também sido associada ao aumento da secreção de insulina em modelos experimentais”.

 

O médico explicou que “o consumo de azeite tem sido associado à prevenção da osteoporose em modelos experimentais ou “in vitro”. Este estudo aleatório foi o primeiro a demonstrar que o azeite preserva os ossos, pelo menos segundo o que sugerem os marcadores ósseos em humanos”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.